CAR MAIS

Relembre o quarentão inovador "Volkswagen Passat 45 anos"

Confira as novidades do mundo automobilistico


Volkswagen Passat 45 anos

Volkswagen Passat 45 anos Foto: Divulgação

Quarentão inovador

Um dos modelos mais significativos da história da Volkswagen, o Passat está completando quarenta e cinco anos desde seu lançamento no Brasil. Primeiro veículo da marca alemã no mercado brasileiro equipado com tração dianteira e motor refrigerado a água, o Passat chegou ao Brasil menos de um ano após ser lançado na Alemanha, com inovações conceituais, tecnologias inéditas para a época e um design elegante assinado pelo italiano Giorgetto Giugiaro. Fabricado em São Bernardo do Campo e apresentado em 1974 como modelo 1975, o Passat foi oferecido inicialmente em duas versões de acabamento, L e LS, ambas com duas portas – à época, essa configuração era a preferida dos brasileiros. 

Entre as novidades tecnológicas, o Passat introduziu no país as juntas homocinéticas, a carroceria com zonas de deformação controlada em caso de colisão, o duplo circuito de freios em X e o acionamento das válvulas por correia dentada, entre outras. O motor da versão de lançamento tinha 1.471 cm³ de cilindrada e gerava 78 cavalos e 11,5 kgfm de torque. Associado ao câmbio de 4 marchas, o carro acelerava de zero a 100 km/h em 15,3 segundos e podia chegar à velocidade máxima de 150 km/h. O Passat teve o nome mudado no Brasil em 1984 para Santana e parou de ser fabricado, voltando para o mercado nacional em 1994, já em sua quarta geração, produzida na Alemanha, nas versões sedã e perua (Passat Variant). Desde então, tem ocupado o posto de sedã topo de linha da Volkswagen e portador de novidades tecnológicas de ponta. Exemplos foram os motores FSI, com injeção direta, e TSI, com injeção direta e turbocompressor, que estrearam na sexta geração, em 2006. Mundialmente, o Passat já superou as 30 milhões de unidades vendidas, colocando-se junto ao Fusca e ao Golf como um dos três modelos de maior sucesso na história da marca.

BMW i3 BEV Full 2020Eletrificação premium

A família BMW i3 120Ah acaba de ganhar mais um integrante no Brasil. Trata-se da nova versão i3 BEV Full, totalmente elétrica, que faz sua estreia na rede de concessionárias no país, a partir de R$ 237.950. Com a chegada da nova opção, a gama do compacto premium disponibilizada no Brasil passa a contar com quatro variantes: i3 BEV, i3 BEV Connected, a i3 BEV Full e a top de linha i3 Rex Full. “O pioneiro em condução elétrica no Brasil ganha mais uma opção para consolidar a liderança do BMW Group na mobilidade premium eletrificada. Esse lançamento reforça nossa confiança para o avanço da eletrificação no mercado nacional, um ano após a inauguração do corredor elétrico Rio/São Paulo”, destaca Roberto Carvalho, diretor Comercial da BMW do Brasil. 

O novo i3 é um veículo elétrico ideal para o deslocamento urbano, livre de emissões de partículas. O carro é equipado com um motor de 170 cavalos de potência e 26 kgfm de torque, como todo o elétrico, instantâneo. Segundo a fabricante, pode acelerar de zero a 100 km/h em 7,3 segundos e atingir a velocidade de 150 km/h. Ao todo, são cento e dez pontos públicos de recarga distribuídos pelo Brasil. Em julho de 2018, a BMW inaugurou um corredor com postos de carregamento para veículos elétricos e híbridos na Rodovia Presidente Dutra, conectando as cidades do Rio de Janeiro e São Paulo.

Os mesmos de sempre

Segundo relatório da Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave), os segmentos de carros e comerciais leves, os dois com maior volume de vendas sobre quatro rodas, tiveram um aumento de 11,4% em julho na comparação com o mesmo período de 2018, com 232.243 unidades emplacadas. Sobre o mês anterior deste ano, o avanço foi de 8,8%. Com 1.481.119 unidades comercializadas, os dois segmentos obtiveram uma alta de 10,9% no acumulado de janeiro a julho ante igual intervalo de 2018. Enquanto isso, a Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) aponta um crescimento de 8,4% na produção em julho sobre junho deste ano, com 266,45 mil unidades fabricadas no país.

 Após quatro anos e meio, o Chevrolet Onix manteve a liderança no “Top Ten” dos carros, com 20.071 unidades vendidas em julho, mais do dobro do segundo colocado, o Hyundai HB20 (9.207 unidades), que recuperou a segunda posição perdida em junho para o Ford Ka. O compacto da marca norte-americana voltou para terceiro, com 9.076 exemplares comercializados, seguido pelo Chevrolet Prisma (8.377), o sedã mais vendido do Brasil. Atrás do Prisma estão o Renault Kwid (8.070), o Volkswagen Gol (7.275), os Fiat Strada (7.021), Argo (6.610) e Toro (6.212) e o Volkswagen Polo (6.199). Entre as montadoras, a General Motors continuou em primeiro em julho, com 40.523 unidades vendidas e uma participação de 17,4%. O ranking teve a Volkswagen na segunda colocação, com 36.010 emplacamentos e 15,5% de “market share”, acompanhada da Fiat (32.459 e 13,9%), da Toyota (20.609 e 8,8%), da Hyundai (19.249 e 8,2%), da Renault (18.653 e 8,03%), da Ford (18.498 e 7,9%) da Jeep (12.006 e 5,1%), da Honda (10.975 e 4,7%) e da Nissan (8.944 e 3,5%).

Fonte: Daniel Dias Agência AutoMotrix

Próxima notícia

Dê sua opinião: