CAR MAIS

Investida urbanística

Confira as novidades do mundo automobilistico


"Woven City" que a Toyota construirá aos pés do Monte Fuji, no Japão Foto: Divulgação

Investida urbanística
Coube ao próprio presidente da Toyota Motors, Akio Toyoda, a apresentação do mais ambicioso projeto de futuro da marca oriental na CES 2020, em Las Vegas. A montadora construirá ao pés do Monte Fuji, o maior cartão postal do Japão, uma cidade inteligente para 2 mil habitantes, em um espaço de 71 hectares, onde havia uma velha fábrica de automóveis. Batizado de “Woven City” (“Cidade Interligada”), o projeto será feito a partir de 2021 com veículos de emissão zero, incluindo o shuttle e-Palette da marca, elétrico e totalmente autônomo. 

A malha viária da futura cidade será como uma grade, com três modalidades de vias: uma apenas para veículos de alta velocidade, outra para uso misto (alta e baixa velocidades e pedestres) e a última como uma espécie de passeio arborizado com alamedas. 

A Toyota está recrutando no momento universidades e empresas interessadas em participar de seu “laboratório vivo”. Segundo a fabricante, o protótipo de cidade terá energia vinda de células de hidrogênio e um ecossistema totalmente conectado. A empresa contratou o arquiteto dinamarquês Bjarke Ingels, que desenvolveu o projeto das torres gêmeas do World Trade Center, derrubadas por um atentado terrorista em 11 de setembro de 2001.
Jeep Airflow VisionInteratividade total
A FCA está aproveitando a CES 2020, de 7 a 10 de janeiro no Centro de Convenções de Las Vegas, para mostrar as mais novas tecnologias da empresa relacionadas a eletrificação, uma experiência do usuário (UX) com o Uconnect e a conectividade em um conjunto visual e físico, honrando e construindo a história e a tradição de inovação da fabricante.

 A Jeep apresenta três veículos elétricos híbridos plug-in – o primeiro passo do plano da marca para oferecer opções de eletrificação para todos os modelos em 2022. Todos os veículos elétricos da marca terão o novo emblema “Jeep 4xe”. Informações adicionais sobre os veículos Wrangler, Bússola e Renegade de quatro eixos serão divulgadas nos salões de Genebra, Nova York e Pequim.

 O Airflow Vision é um conceito de design que vislumbra a próxima geração de transporte premium e Experiência do Usuário ao considerar como o motorista e os passageiros podem interagir com as tecnologias avançadas. Por dentro, foi projetado para uma experiência cativante usando gráficos de alto contraste, várias camadas e detalhes chamativos que fornecem uma aparência limpa e sofisticada. 

Com um formato baseado no menu, as telas podem ser personalizadas, simplificadas e agrupadas de acordo com as necessidades e interesses individuais. Com uma oferta de diversas telas de exibição, o usuário pode acessar informações úteis e determinar como elas podem ser aproveitadas.
BMW i3O elétrico na prática
Há seis anos, o BMW i3 chegou ao mercado da mobilidade premium com seu projeto sustentável, motor elétrico livre de emissões e design original. Desde então, o “pequeno notável” se tornou o veículo elétrico mais vendido do mundo no segmento de compactos premium, com 165 mil unidades comercializadas globalmente. Além dos números de mercado, o modelo vem demonstrando diariamente ao longo desses anos a capacidade e durabilidade de suas baterias. 

Que o digam os proprietários das primeiras unidades do modelo, cujas baterias originais ainda estão sendo usadas — mesmo após mais de 200 mil quilômetros rodados. “O conceito do i3 é tão único e moderno que ainda hoje as pessoas se viram para olhar. Os custos da recarga elétrica são mínimos”, comenta o alemão Helmut Neumann, proprietário do modelo desde 2014, que vive nas redondezas da cidade de Colônia e já percorreu longas distâncias com seu veículo, como quando foi até Berlin (cerca de quinhentos quilômetros) e nunca enfrentou dificuldades. 

Segundo análise do ADAC, o maior clube de automobilismo da Alemanha, o carro elétrico atrai consumidores por seu aspecto não somente ecológico, mas também econômico. Em uma comparação de custos gerais, o i3 é cerca de 20% mais barato que os veículos “normais” da marca. Para o norte-americano Robert Cleary, que dirige quase cento e cinquenta quilômetros sem emissões todos os dias, o seu i3 ficou sem energia em apenas uma ocasião, a cerca de cinquenta metros da entrada de sua garagem. O problema foi facilmente resolvido usando um cabo de extensão.
experiência de realidade virtual da Ford para motoristas e ciclistasConvivência civilizada
A Ford criou uma experiência de realidade virtual para promover a empatia entre motoristas e ciclistas e aumentar a segurança no trânsito. O programa, chamado Wheel Swap (Troca de Direção), está sendo feito na Europa em parceria com empresas frotistas. Foi desenvolvido em conjunto com a agência londrina Happy Finish e já ganhou seis prêmios, incluindo o “European Excellence Awards”. 

Usando óculos especiais, os condutores de entrega podem ver o mundo do ponto de vista de um ciclista ou de um motorista no espaço virtual. Das mil e duzentas pessoas que já participaram da experiência, 91% se disseram dispostas a mudar de comportamento. Um levantamento feito duas semanas após o lançamento do programa mostrou que 60% dos motoristas e ciclistas mudaram seus hábitos. “É importante para a Ford que todas as pessoas possam chegar ao seu destino com segurança. 

Apoiamos totalmente a diversidade nas soluções de entrega e a ampliação do uso de bicicletas para transportar encomendas em áreas urbanas. Atualmente, há mais pessoas transitando nas ruas do que nunca e um número crescente de ciclistas. Por isso, é importante incentivar um espírito de compreensão e respeito entre todos os usuários, estejam eles sobre quatro ou duas rodas”, diz Tom Thompson, líder do projeto na Ford Mobility.
 correia dentada do motorCorreia ou corrente?
Muitos motoristas não sabem exatamente o que está sob o capô de seus automóveis. Um dos componentes mais desconhecidos, e baratos, é capaz de até destruir todo o bloco do motor caso dê problema: a correia dentada. Vale lembrar que os carros mais novos utilizam a corrente de comando, bem mais durável. Tanto a correia quanto a corrente são fundamentais para o bom funcionamento do veículo. As duas são responsáveis por sincronizar o movimento da parte inferior do motor – virabrequim e pistões – com o comando de válvulas. 

Saber que tipo o carro utiliza é essencial na hora da manutenção. A correia caracteriza-se pela borracha com cintas de aço por dentro e por ser mais usada em carros nacionais. Por ser coberta por uma capa, dificulta a visualização do desgaste. Se arrebentar, o motorista pode não perceber, devido à ausência de barulhos, e o conserto pode custar muito caro, caso afete também diretamente partes do propulsor. A corrente é feita de aço e recebe lubrificação do óleo do motor. 

No entanto, apesar de ser mais resistente, ela não dura para sempre. Mas a corrente dá sinais de desgaste, apresentando fortes ruídos. Enquanto uma correia dentada dura em média 50 mil quilômetros, a corrente de comando pode aguentar até o triplo disso. A corrente custa também três vezes mais em comparação ao preço da correia e da mão de obra para trocá-la.
entrega de chaves automotivasEm caso de aperto
Apesar da compra de um carro novo ser o sonho de grande parte dos brasileiros, esse “bem” ainda está distante de muitas pessoas no país. A principal saída ainda é fazer financiamento, com parcelas a serem pagas em um longo período de tempo. No entanto, no meio desse caminho, muitas vezes, o cliente acaba se endividando e não podendo honrar com as prestações. Para ajudar nesse sacrifício de parte da população brasileira, a startup InstaCarro dá algumas dicas para os inadimplentes:
Vender o veículo para abater a dívida: pode parecer paradoxal, mas para a pessoa que se enrolou com o financiamento, uma alternativa interessante é vender o carro para conseguir abater a dívida.

 Com o dinheiro, é possível se pagar o valor restante ao banco, evitando juros maiores, e planejar melhor a compra de um outro veículo mais tarde.
Trocar por um modelo mais em conta: se ficar a pé é impossível por questões pessoais ou profissionais, pode-se utilizar a mesma lógica para trocar o veículo por um modelo mais econômico e barato. Com o lucro obtido na negociação, a pessoa pode pagar as dívidas e reorganizar sua vida financeiramente sem prejudicar seus afazeres com a ausência de um carro.
Renegociar com a instituição financeira: uma dica importante tanto para quem pretende negociar o carro quanto para quem deseja mantê-lo é tentar renegociar a dívida. É possível conseguir juros mais em conta nos meses ou condições de pagamento mais vantajosos para a situação de aperto. Entretanto, a dívida jamais diminuirá. O que a entidade costuma fazer é alongá-la para a pessoa ter um alívio no valor mensal.
Pesquisar a portabilidade de crédito: é possível renegociar o financiamento com outro banco por meio do conceito de portabilidade de crédito, no qual o usuário pode pesquisar se alguma instituição oferece condições favoráveis, como juros menores, e solicitar essa migração sem qualquer custo adicional.
Transferir o financiamento para outra pessoa: se não houver parcela em atraso, é possível de se transferir o financiamento.

 A transferência deve ser consolidada na documentação do veículo, junto ao Detran. Pode ser uma alternativa interessante para o automóvel continuar na família, com pais herdando a dívida do filho, por exemplo.
Nissan Ariya ConceptMobilidade do Sol Nascente
A Nissan levou um toque da hospitalidade japonesa à Consumer Electronics Show (CES) 2020, de 7 a 10 de janeiro no Centro de Convenções de Las Vegas, demonstrando a visão da marca para o futuro da mobilidade, desde o crossover elétrico Ariya Concept até um furgão de sorvetes de emissão zero baseado no e-NV200 e uma bola de golfe que chega sozinha ao buraco. 

O Ariya está fazendo sua estreia na América do Norte, combinando tecnologias avançadas em uma nova plataforma para veículos elétricos. “O Ariya destaca a promessa da Nissan de oferecer uma experiência de condução totalmente nova. Esse crossover não é um carro-conceito com base em ideias distantes, é uma vitrine de tecnologias que estarão disponíveis em curtíssimo prazo”, revela Takao Asami, vice-presidente sênior de Pesquisa e Engenharia Avançada da Nissan. A marca japonesa expõe também na CES o seu carro da Fórmula-E – competição internacional disputada por bólidos totalmente elétricos – e o Leaf de segunda geração, que já está sendo vendido no Brasil.

Fonte: Agência AutoMotrix

Próxima notícia

Dê sua opinião: