Médico alerta para os riscos da meningite

O problema exige muito cuidado, já que dependendo do agente causador pode provocar a morte em poucas horas.


Meningite

Meningite Foto: Главная

Doença que provocou a morte do neto do ex-presidente Lula, a meningite é caracterizada como o processo inflamatório das meninges (membranas que envolvem o cérebro e a medula espinhal), podendo ser causada por diversos agentes infecciosos, como bactérias, vírus, parasitas e fungos, ou também por processos não infecciosos. No Piauí, segundo dados da Secretaria de Saúde foram confirmados 170 casos no biênio 2016/2017. O problema exige muito cuidado, já que dependendo do agente causador pode provocar a morte em poucas horas.

Diante disso, o infectologista do Hapvida, Fernando Chagas, faz um alerta sobre a doença e elenca as medidas que podem ajudar a prevenir a doença. "Uma medida que reduz bastante a transmissão da meningite é a lavagem das mãos e também evitar grandes aglomerados de pessoas. Tendo contato com alguém que esteja com alguma doença respiratória é importante sempre lavar as mãos e usar máscaras. Também existem vacinas para algumas formas da doença", completa.

Para identificar a meningite, o infectologista do Hapvida Saúde aponta que os principais sintomas são: febre alta, dor de cabeça e rigidez do pescoço ou da nuca. Também é normal o paciente ter mal estar, náusea, vômito, fotofobia (aumento da sensibilidade à luz) e confusão mental.

O tratamento das meningites bacterianas, segundo o médico, é feito com antibióticos, associados ou não a corticoides e a internação sempre é necessária. "Nas virais, geralmente o tratamento é com antivirais e corticoides e nas fúngicas com antifúngicos", afirma.

Fonte: Ai comunicação

Próxima notícia

Dê sua opinião: