DENÚNCIA

Idoso está há um mês na fila de regulação do SUS esperando cirurgia cardíaca de emergência

Os pacientes que precisam de cirurgia eletiva devem estar em uma fila de regulação do SUS, sob o controle da FMS


Paciente no HUT esperando transferência para o HU

Paciente no HUT esperando transferência para o HU Foto: Divulgação

O microempresário Antônio Ferreira da Silva, de 67 anos, precisa urgentemente de uma cirurgia cardíaca para tratar de infarto agudo do miorcárdio, que pode lhe tirar a vida a qualquer momento. Ele precisa  fazer ponte de safena, pois todas as veias do coração estão obstruída, e espera pela cirurgia há mais de um mês porque até agora a Fundação Municipal de Saúde - FMS, que regula o Sistema Único de Saúde - SUS, na cidade, não conseguiu vaga no Hospital Universitário da UFPI - HU, o único que pode fazer esse procedimento.

Segundo a família, Antônio é doente renal crônico, faz hemodiálise e está em estado grave. Neste momento, ele encontra-se internado no Hospital de Urgências de Teresina (HUT) onde aguarda a transferência para o HU, que não dispõe de vagas para que a cirurgia seja realizada.

Os pacientes que precisam de cirurgia eletiva devem estar em uma fila de regulação do SUS, sob o controle da FMS e feita pelo hospital onde o paciente encontrasse internado.

A família de Antônio Ferreira denuncia que, por duas vezes, ele saiu da fila de regulação no HUT, deixando de constar como paciente de  emergência cirúrgica porque funcionários do HUT teriam esquecido de fazer a avaliação diária e colocar o resultado na ficha do paciente, procedimento obrigatório para manutenção do paciente na fila da regulação.

De acordo com técnico do SUS, ao sair da fila de regulação o paciente cede o lugar para que outra pessoa ocupe a sua vaga. Não estar na fila para a regulação coloca em altíssimo risco a vida do pacientes como Antônio Ferreira, que já sofre com hemodiálise e a espera por uma vaga no HU.

"A enfermeira nos informou que ‘esqueceu’ de colocar meu irmão na fila de regulação. Isso é um absurdo, tenho medo dele morrer a espera de uma cirurgia”, disse um familiar de Antônio.

A regulação é um processo longo. Primeiro, o médico avalia o quadro geral do paciente e, após diagnóstico, o coloca na fila de espera para a cirurgia, caso seja necessário.

Segundo a família, como o estado de Antônio é grave, ele ocupava a primeira posição na fila, saiu e, quando retornou, estava na terceira posição. A família já acionou a Defensoria Pública da União e deve abrir processo judicial para a realização da cirurgia.

O HUT informou que Antônio está na fila para regulação e que a sua transferência para a realização da cirurgia não foi realizada porque o HU não tem vaga para este tipo de procedimento no momento. Informa ainda que o paciente está recebendo todos os cuidados necessários para o procedimento cirúrgico.

O HU, através de sua assessoria de comunicação, informou que o hospital não tem ingerência sobre a fila de regulação de pacientes e que todo o processo é feito pela Fundação Municipal de Saúde (FMS).

Confirma que o paciente Antônio Ferreira da Silva já esteve na primeira colocação da fila e desceu. Neste momento, ele encontra-se na terceira posição. O HU comunicou ainda que, agora, o hospital não tem vaga para cirurgia.

Próxima notícia

Dê sua opinião: