HPV pode provocar ataques cardíacos

A sua principal forma de transmissão é pelo ato sexual sem preservativo.


HPV

HPV Foto: Divulgação

Uma pesquisa publicada no periódico Circulation Research revelou que o vírus do HPV pode aumentar as chances do desenvolvimento de doenças do coração, principalmente quando associadas a outros fatores de risco. No estudo, os investigadores analisaram dados de 60 mil mulheres coreanas entre 2011 e 2016, que possuíam o vírus e não tinham o diagnóstico de complicações cardiovasculares.

Levando em consideração fatores como peso, estatura, uso de álcool, IMC e histórico de doenças, os cientistas concluíram que 22% das voluntárias apresentavam uma maior probabilidade de desenvolverem doenças do coração, principalmente enfartes do miocárdio. E as chances eram duas vezes maiores em mulheres que além do HPV, sofriam obesidade ou de síndromes metabólicas.

Segundo a ginecologista e obstetra Maria Elisa Noriler, o Human Papiloma Virus (HPV), é caracterizado por ser uma doença viral que reside na pele e nas mucosas, tais como: vagina, ânus e pênis. A sua principal forma de transmissão é pelo ato sexual sem preservativo.

"Estima-se que existam mais de 100 tipos diferentes de HPV, sendo alguns deles considerados de alto risco (especialmente o HPV-16 e o HPV-18), pois podem provocam infecções persistentes que podem alterar as células da região e evoluir para o câncer do colo do útero", alerta a ginecologista.

Enfarte

De acordo com o cirurgião cardíaco e membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Cardiovascular, Élcio Pires Júnior. "Os sinais de enfarte são diferentes em homens e mulheres, além dos sintomas típicos como dor no peito, náuseas e desmaios, as mulheres podem sentir enjoos, falta de ar, arritmias e fadiga", explica o especialista. A prevenção do enfarte do miocárdio é realizada com uma simples mudança de hábitos, "Cuidar da alimentação, praticar atividades físicas diariamente, dizer não ao álcool e ao tabaco são as principais medidas para cuidar da saúde do coração", finaliza o médico.

Fonte: Notícias ao Minuto

Próxima notícia

Dê sua opinião: