COVID-19

Hidroxicloroquina é utilizada na rede estadual desde os primeiros casos de Covid-19

Governo do Estado do Piauí segue um protocolo que possibilita o uso desses medicamentos por decisão do médico


Medicamentos à base de Hidroxicloroquina e de Cloroquina

Medicamentos à base de Hidroxicloroquina e de Cloroquina Foto: Divulgação

Seguindo recomendações do Conselho Regional de Medicina (CRM-PI), o Governo do Piauí incluiu a possibilidade de uso de corticóide, heparina e hidroxicloroquina para o tratamento de pacientes infectados com o Covid-19 desde o início da pandemia no Estado, ou seja, desde março deste ano, inclusive, garantindo autonomia ao médico para prescrever a medicação padronizada ao tratamento do novo coronavírus.

O Hospital Regional Tibério Nunes, de Floriano, é prova do protocolo adotado pela rede estadual de saúde. A unidade hospitalar hoje é tida como referência no tratamento dos pacientes com uso desses medicamentos, comprovando a autonomia que o médico possui. Apenas em Floriano, nove pacientes na fase inicial da doença foram curadas com hidroxicloroquina. 

A ministra do Governo Federal, Damares Alves recebeu uma cópia do protocolo adotado pelo hospital durante visita ao município na manhã desta quinta-feira (14). "Estamos levando oficialmente o protocolo que é aplicado aqui para que seja apresentado a todo o Brasil", disse. Ela chegou ao Piauí em companhia de comitiva formada por técnicos da Ministério da Saúde e do Ministério da Tecnologia. 

O protocolo usado pela rede estadual de saúde permite o uso de todos esses medicamentos no tratamento à Covid-19 desde que haja consentimento do paciente ou do responsável pelo doente e ainda por meio de decisão médica. A Secretaria de Estado da Saúde (Sesapi) disponibiliza Corticoide, Heparina e Hidroxicloroquina nas farmácias da rede hospitalar estadual.

O Governo do Estado do Piauí criou, ainda, nesta quarta (13), um grupo de trabalho formado por médicos e pesquisadores para melhor estudar, avaliar e definir o uso de corticoide, heparina, hidroxicloroquina, entre outros fármacos que auxiliem no tratamento da covid-19, na rede estadual de saúde.

Cabe ressaltar, contudo, que ainda não há comprovação científica que ateste eficácia do medicamento.

Fonte: CCOM

Próxima notícia

Dê sua opinião: