VACINA

Wellington propõe reserva maior de vacinas para o Amazonas devido a crise

A intenção do governador é evitar que a nova variante encontrada no Amazonas se espalhe pelo país


Governador Wellington Dias

Governador Wellington Dias Foto: Foto: Reprodução

O governador Wellington Dias, presidente do Consórcio Nordeste e coordenador do tema Vacina do Fórum de Governadores do Brasil, articula com os governadores do país a liberação de uma parcela maior de doses para o estado do Amazonas da próxima remessa das vacinas CoronaVac e do primeiro lote da AstraZeneca, tendo em vista a grave crise que o estado está enfrentando.

Leia também:

Cinco pacientes recuperados da Covid em Teresina retornam para Manaus

MP entra com ação contra o ex prefeito de Piracuruca para o ressarcir mais de R$ 2 milhões

Após uma reunião técnica, nessa quinta-feira (22), sobre a situação do Amazonas, Wellington defende a liberação de 5% das doses para o estado e pede o apoio dos outros governadores nessa decisão. O restante das vacinas será distribuído proporcionalmente de acordo com a população de cada estado.

“Participei até tarde da noite de uma agenda com a participação de técnicos do Ministério da Saúde e dos que acompanham em Manaus. A situação é grave, muito mais grave do que antes e o pior, a nova variante do coronavírus começa a se espalhar, já com presença forte na divisa do estado com o Pará” afirmou o gestor.

Por esta razão, Wellington defendeu uma proposta para que, na distribuição desse novo lote de vacinas, mais de seis milhões de doses, tirar uma fatia maior, algo como 5%, cerca de 300 mil doses, para viabilizar vacinação em Manaus e em outros municípios mais afetados.

Segundo o governador, se trata de uma ação humanitária e estratégica que evitará a propagação para outros estados. “Controlando em Manaus, estamos controlando também no Brasil. A aprovação é um gesto muito importante por parte do Fórum dos Governadores do Brasil e apoiado pelo Ministério da Saúde”, ressaltou Wellington Dias.

O governador do Pará, Helder Barbalho, concorda com a decisão e pede ajuda para conter o avanço da segunda onda da Covid-19 nos municípios que fazem divisa com o Amazonas. “Aproveito e peço ajuda para incluir o Pará, pois na região Oeste do estado (área de divisa), onde segunda onda já chegou e os municípios já sofrem com o avanço. Temos que fazer uma barreira de imunidade”, frisou Barbalho.

O governador do Amazonas, Wilson Lima, reiterou que a situação no estado é preocupante. “Nossa situação é preocupante e logo irá atingir outros estados. Agradeço imensamente a todos pelo apoio nesse momento”, disse.

Fonte: Governo do Piauí

Próxima notícia

Dê sua opinião: