PANDEMIA

Wellington Dias prorroga decreto e mantém comércio fechado até 6 de julho no Piauí

Crescimento de pessoas infectadas e da taxa de contágio do novo coronavírus justificaram a decisão do governador


Governador Wellington Dias em entrevista coletiva

Governador Wellington Dias em entrevista coletiva Foto: Piauí em Mídia

O governador Wellington Dias prorrogou o decreto que mantém as atividades econômicas não essenciais fechadas até 6 de julho deste ano no Piauí. O anúncio foi oficializado durante transmissão ao vivo na tarde desta segunda-feira (22). O chefe do executivo tomou a decisão após reunião com o Comitê Covid-19, que apresentou dados que mostram crescimento no índice de novos infectados com a Covid-19 e na taxa de contágio da doença.

"Houve um crescimento dos casos de infectados e um pequeno da transmissibilidade da Covid, em razão disso estamos prorrogando as medidas restritivas até o dia 6 de julho, com reunião agendada para 26 de junho, também mantendo as medidas lá atrás adotadas", informou.

Dias também explicou o motivo do crescimento de novos casos da Sars-CoV-2 no Piauí. "Se a gente olha o dado da última sexta-feira fomos para baixo, com 35% da população em isolamento, é preciso um cuidado muito grande. Pra gente ter condição de realizar uma retomada organizada precisamos fazer o isolamento", disse.

Dias respondeu pergunta enviada pela equipe do Piauihoje.com sobre a falta de profissionais de saúde para atuar no enfrentamento ao Covid.

"É verdade que a falta de profissionais era esperada, o problema é que aqui no Piauí a falta aconteceu além do que esperávamos Agora vamos fazer um esforço grande. Até esta terça-feira (23), peço a Deus que encontremos profissionais com as condições adequadas para que assim tenhamos mais leitos, tanto em Teresina como no Estado. Saímos de 30 UTIs para 469 com leitos de estabilização, isso não é fácil. Na nova maternidade vamos ter 270 leitos", exemplificou.

Ainda sobre esse tema, o governador informou que está se antecipando para evitar que falte medicamentos utilizados nos tratamentos contra  Sars-CoV-2.

"Agora vem mais o problema do medicamento, vamos ter de importar, estou torcendo para que o presidente da República autorize, quem vai pagar são os estados e os municípios. No Piauí são 22 medicamentos que listamos e apresentamos, já deu colapso em estados como Minas Gerias e Goiás, não queremos isso para o Piauí, por isso temos que encontrar alternativa nos próximos dez dias", explicou.

Nos 30 municípios que ainda não possuem casos registrados, o governador disse que está sendo ampliado o número de exames para descobrir a doença cedo e assim salvar mais vidas. "Descobrir tarde é permitir que uma pessoa venha a óbito, é isso que o programa Busca Ativa faz, aqui a gente descobre os casos e salva vidas com antecipação",  disse.


Notícias relacionadas

Piauí chega a 502 mortes e governador decreta luto de uma semana em homenagem a vítimas da Covid-19

Pesquisa aponta que 200 mil piauienses contraíram Covid-19 em apenas uma semana

Próxima notícia

Dê sua opinião: