Governo do Piauí paga servidores e antecipa o 13° para aquecer a economia do estado

Pagamento estava previsto apenas para dezembro, mas foi antecipado com reabertura do comércio


Rafael Fonteles, secretário de Estado da Fazenda

Rafael Fonteles, secretário de Estado da Fazenda Foto: Piauihoje.com

O secretário estadual de Fazenda, Rafael Fonteles, abriu a coletiva de imprensa convocada pelo governador Wellington Dias ao meio dia desta sexta-feira (07) e anunciou que o governo vai antecipar o pagamento da segunda parcela do décimo terceiro salário dos servidores públicos estaduais para este mês.

Segundo Rafael, a medida visa injetar dinheiro na economia do Estado exatamente no momento que o Piauí começa a retomar suas atividades econômicas. O pagamento estava previsto para dezembro desse ano. A medida injetará mais de R$ 200 milhões na economia do Piauí já no próximo dia 21 (agosto).

"Hoje quando as atividades econômicas começam a retornar e com toda preocupação, com os protocolos de segurança e saúde, o governador toma uma medida importante, de antecipar para esse mês de agosto o pagamento do 13º pagamento dos servidores estaduais, estava previsto para dezembro, esses recursos irão movimentar bastante a economia local, é importante esse recurso no bolso do servidor para que possam quitar suas contas e realizar comprar, é uma medida importante de fomento à atividade econômica do Estado", disse o secretário.

De acordo com o governador Wellington Dias, o pagamento acontecerá dia 21 de agosto.

"Fizemos o dever de casa, o Piauí é um dos poucos estados brasileiros que se antecipou e tomou a decisão de trabalhar para o equilíbrio entre receita e despesa e entre capacidade de investimento também. Hoje estamos colhendo frutos, estamos anunciando que o 13º salário, que normalmente seria pago em 21 de dezembro, segundo calendário anunciado no início do ano, será antecipado para o próximo dia 21 de agosto, com isso a gente contribui também com o setor empresarial que esteve comigo cobrando medidas como essa", esclareceu.

Acompanhe a live abaixo:

Economia e organização financeira

Desde o início da pandemia, o governo teve que cortar na própria carne para poder equilibrar as finanças. “Agora é o momento da retomada das atividades econômicas, então, é importante nessa fase tanto a injeção de liquidez na economia como a retomadas das obras, por meio do Pró-Piauí II, contribuindo para gerar emprego e renda no Estado”, acrescenta Rafael Fonteles, que é o coordenador do programa no Estado.

"Quero destacar como foi importante a condução do governador nessa travessia, que ainda não findou, mas o efeitos são menores no nosso estado. A antecipação do 13° chega em muito boa hora, conte com o movimento lojista do Piauí para que possamos juntos continuarmos superando e trazendo alternativas", disse o presidente da Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas (FCDL), Sávio Normando.

Dentre as medidas que permitiram o Estado fazer essa economia estão: a redução de 15% nos salários do primeiro escalão do governo, incluindo o subsídio do governador, secretários de estado, superintendentes e dirigentes de autarquias. O Governo também reduziu 15% da condição especial de trabalho dos servidores comissionados e ainda fez a redução de gastos com o custeio, com a implementação do Plano de Contingenciamento de Gastos. A previsão inicial era economizar R$ 200 milhões até dezembro desse ano.

Próxima notícia

Dê sua opinião: