REAÇÃO

Ciro faz uso político e atrapalha ações de combate à pandemia da Covid-19, diz deputado

Caos no sistema de saúde do País é culpa da incompetência do Governo Bolsonaro que ele agora tanto defende


Ciro Nogueira de braços cruzado no Senado

Ciro Nogueira de braços cruzado no Senado Foto: Agência Senado

Uma publicação do senador Ciro Nogueira (Progressistas-PI), nesta terça-feira (PI) nas redes sociais foi duramente criticada por políticos e apoiadores do governo do petista Wellington Dias. Na publicação o senador critica a decisão do governador Wellington Dias de decretar medidas restritivas mais duras para evitar um maior número de contágio e mortes pelo novo coronavirus e caos no sistema de saúde por causa da Covid-19.

Os apoiadores das medidas do governo do estado dizem que Ciro Nogueira, até agora, não levantou uma palha para ajudar a socorrer as vítimas da Covid-19 no estado e atrapalha as ações contra o avanço da doença fazendo politicagem em meio a uma crise que atinge o mundo inteiro e não somente o Piauí.

Publicação do senador no Facebook 

O deputado estadual Cícero Magalhães, do PT, diz que o governador do Piauí está fazendo o que está sendo feito no mundo inteiro para evitar o maior número mortes por Covid-19 enquanto não chega no País e no Piauí a vacina contra o novo coronavírus.

Magalhães lembrou que a situação está chegando a esse nível de gravidade por incompetência e falta de ação do governo do Jair Bolsonaro. "O país ainda não tem vacina por causa do desgoverno Bolsonaro, pai do Zero 5, que o senador agora faz parte e defende com unhas e dentes.

Outro que criticou a postura do senador foi o deputado federal Marlong Solano. Em nota, o parlamentar disse ser "uma lástima que o senador Ciro Nogueira, seguindo o exemplo de seu chefe Bolsonaro, politize a questão da pandemia e tente explorar a desinformação de parte da população que tem dificuldade de perceber a gravidade e o alto risco advindo do esgotamento da capacidade de atendimento dos hospitais", diz Merlong.

Para os parlamentares petistas , em vez de ficar atacando o governo do Piauí deveria era está trabalhando para que o estado recebesse recursos para os hospitais enquanto a população não recebe a vacina que o governo federal não cuidou de adquirir.

"Com a vacinação seguindo a passos de tartaruga, em razão da falta de doses, o distanciamento social é necessário para salvar vidas. É isso que os países que têm governos sérios estão fazendo. Vacina e distanciamento. Wellington Dias "erra" junto com o mundo desenvolvido; Ciro Nogueira "acerta" junto com Bolsonaro. Não importa para Ciro que vidas estejam em risco grave, afinal, como disse seu presidente: “Todo mundo morre!", "E daí?", lembrou Merlong Solano.

O governo do estado também reagiu a fala do senador sobre o fechamento do Hospital de Campanha que funcionou no Ginásio de Esportes Verdão, em Teresina,  e que ajudou a salvar mais 500 vidas, enquanto o presidente da República cuidava de espalhar o novo vírus Brasil afora.

A Secretaria Estadual da Saúde - Sesapi, lançou uma nota esclarecendo a desativação do Hospital de Campanha do Verdão. De  acordo com a nota, o hospital cumpriu o seu papel na pandemia e que a estrutura foi desmobilizada com a queda no registro de casos da Covid-19 no estado ainda o ano passado.

A seguir a nota da Sesapi:

O Hospital de Campanha do Verdão encerrou o atendimento há sete meses, após mais de quatro meses de funcionamento, colaborando para salvar a vida de 500 piauienses durante o pico da pandemia de covid-19 no Piauí. A desativação do hospital de campanha foi possível após a queda nos indicadores da pandemia, inclusive a diminuição do número de pacientes internados na rede pública.

De acordo com o Superintendente de Gestão da Sesapi, Jefferson Campelo, que foi diretor do Hospital, a unidade de saúde provisória cumpriu com todos os seus objetivos e foi desativado porque ele estava com uma taxa de ocupação que não exigia mais o seu funcionamento. “ É importante a população saber que se houvesse a necessidade o Governo do Estado teria mantido toda a estrutura que foi montada de forma emergencial”.

Jefferson Campelo: ações da Sesapi são planejadas

A pandemia exige muitas internações que saturam o sistema de saúde. Os hospitais de campanha ajudam a desafogar a demanda por leitos para pacientes com Covid-19 de baixa complexidade, que são aquelas pessoas que carecem de internação, mas que dispensam a necessidade de cuidados em UTIs. O hospital funcionou como um reforço temporário durante o pico da pandemia.

“O Hospital de Campanha foi  uma estrutura contratada pelo prazo necessário  e que com o encerramento das atividades, os equipamentos foram devolvidos para a empresa contratada. Já aqueles que pertenciam à estrutura do estado forma redistribuídos entre os hospitais da rede”, explica ele.

Com a redução dos casos, a Sesapi desmobilizou os leitos do Hospital de Campanha e decidiu ampliar os investimentos nos hospitais estaduais e regionais. A rede de saúde referenciada para coronavírus conta atualmente com cerca de 1 mil leitos clínicos e com respiradores, número que vem sendo ampliado pelo Governo do Estado, através da Secretaria de Estado da Saúde, de acordo com as necessidades.


Próxima notícia

Dê sua opinião: