Assaltada e maltratada, população de Teresina fica sem ônibus

Greve acontece nesta quinta-feira (27), das 4h às 6h e das 16h às 18h


Paralisação dos ônibus em Teresina

Paralisação dos ônibus em Teresina Foto: Reprodução/WhatsApp

Mais uma vez, milhares de teresinenses ficaram sem transporte coletivo no começo da manhã desta quinta-feira (27), justamente no horário de pico, entre 4h e 6h - os usuários vão ficar a pé novamente hoje à tarde, das 16h às 18h - quando motoristas e cobradores de ônibus cruzaram os braços em protesto contra os assaltos, que viraram rotina na capital piauiense.  

Tão vítimas quanto motoristas e cobradores, os usuários de ônibus reclamam que toda vez que acontece algo que desagrada as essas duas categorias, como o atraso no pagamento, a negociação do reajuste salarial, por exemplo, a  a população é quem paga o pato.

Os organizadores da paralisação argumentam que o objetivo do movimento é garantir mais segurança para quem trabalha e utiliza o sistema de transporte coletivo urbano, inclusive a instalação do “botão do pânico” e de câmeras de vídeo nos veículos. 

Já foram registrados 80 assaltos de janeiro a setembro, segundo o presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Transporte Rodoviário do Estado do, Fernando Feijão. Foram dois assaltos só nesta semana. 

 “Todos os dias a gente tem assaltos a ônibus o trabalhador sai de sua casa com receio de não conseguir voltar pela falta de segurança, o cobrador continua pagando pelo assalto, o que é inadmissível, já não basta ficar sob pressão psicológica após passar por uma experiência que abala os seus nervos, ainda ter que arcar com algo que não é ocasionado por ele, precisamos de mais segurança e por um fim nessa triste realidade”, argumenta Feijão.

Fonte: Paulo Pincel

Próxima notícia

Dê sua opinião: