#EXPOSEDTERESINA

MP pede investigação sobre denúncias de assédio sexual envolvendo professores em Teresina

A Polícia Civil do Piauí já instaurou um inquérito para apurar as denúncias relatadas nas redes sociais


Assedio de Mulheres

Assedio de Mulheres Foto: Divulgação

O delegado geral da Polícia Civil do Piauí, Luccy Keiko, recebeu nessa segunda-feira (01) um oficio do Ministério Público do Piauí (MPPI) que solicita a instauração de um inquérito policial para investigar atos de violação sexual relatados por estudantes em redes sociais, Instagram e Twitter, usando a hastag #exposedteresina.

 Luccy Keiko informou que antes mesmo do Ministério Público requisitar a instauração do inquérito, ele já havia conversado verbalmente com o titular da Delegacia de Proteção à Criança e Adolescente (DPCA), delegado Antônio Barbosa, para apurar as informações.

O MPPI, verificou as notícias veiculadas e as  publicações em redes sociais, verificando que a maioria dos casos teriam ocorrido no ambiente educacional envolvendo supostamente professores e alunos. Os membros do Ministério Público solicitam que a Polícia Civil investigue o caso, que ganhou repercussão nas redes sociais durante o fim de semana. Os promotores pedem que a Polícia encaminhe ao Ministério Público informações sobre a abertura do inquérito, em até 10 dias.

O delegado Luccy Keiko falou que é importante que as vítimas procurem a Delegacia de Proteção a Criança e Adolescente para formalizar as denúncias. 

#ExposedTeresina 

Várias mulheres estão usando a hastag para relatar situações de assédio sexual em Teresina. A maioria dos relatos são contra professores da rede particular de ensino da capital. Nos posts, as jovens relatam situações constrangedoras que vivenciaram na infância, adolescência e até no momento atual.  No ambiente escolar, as alunas e ex-alunas revelaram histórias envolvendo professores que cometiam o ato dentro de salas de aulas como também fora da escola.

Próxima notícia

Dê sua opinião: