Polícia

Empresário volta a ser preso em Teresina por vender celulares roubados

Duas lojas tiveram as atividades econômicas suspensas, sendo uma loja física e outra de vendas online

Da Redação

Quinta - 29/02/2024 às 13:46



Foto: Divulgação A 13º fase da operação Interditados terminou em duas prisões e suspensão de duas lojas
A 13º fase da operação Interditados terminou em duas prisões e suspensão de duas lojas

O empresário identificado como Leonam Kleyton Nascimento Vitorio foi preso na manhã desta quinta-feira (29) durante a 13ª fase da Operação Interditados, deflagrada em Teresina. Leoanam é acusado de comercializar aparelhos celulares de forma ilícita através do Instagram. Na operação, duas lojas tiveram as atividades econômicas suspensas, sendo uma loja física e outra de vendas online. 

Segundo a polícia, Leonam é reincidente na operação Interditados, voltando a praticar o mesmo crime.  

"O empresário já havia sido detido em outras ações pelo crime de receptação, mesmo assim continuou realizando a mesma atividade ilícita nas suas redes sociais”, explicou o coordenador da SOI, delegado Matheus Zanatta.

Na mesma operação também foi preso Iure Gilson Martins Portela, acusado de adquirir aparelho celular com restrição de roubo. De acordo com a polícia, Iure tentou induzir os policiais ao erro, apresentando nota fiscal falsa e uma caixa de iPhone adulterada durante depoimento. Ele já responde por tráfico de drogas. 

“A polícia monitora todos os envolvidos e, nos casos de hoje, os dois já tinham passagens pela polícia e por isso pedimos a prisão preventiva", concluiu o delegado. 

Além dos mandados de prisão, foram cumpridos mandados de busca e apreensão e a suspensão das atividades comerciais. Uma loja física, situada na zona Sul de Teresina, teve suas atividades suspensas em razão dos indícios da prática de descaminho. Uma segunda loja virtual também teve as atividades econômicas e financeiras suspensas pela polícia.

A operação foi deflagrada pela Superintendência de Operações Integradas da Secretaria de Segurança Pública (SOI), por meio da  Gerência de Operações Criminais (GOIC) e da Força Estadual Integrada de Segurança Pública do Piauí (FEISP).

Siga nas redes sociais

Compartilhe essa notícia: