EVENTO

Suparc apresenta benefícios do projeto Cidades Inteligentes em Angical do Piauí

Dentre os benefícios do projeto estão melhorias na Infraestrutura dentro do Conceito Smart Cities (Cidades Inteligentes), geração de empregos e renda, adoção de sistema de vigilância municipal.


Evento

Evento Foto: Divulgação

Angical do Piauí é a primeira cidade do estado com menos de 10 mil habitantes a implantar um projeto de Cidades Inteligentes. Nesta segunda-feira (22) aconteceu a audiência pública, no espaço da Casa de Cultura de Angical, para apresentar à população a parceria público privada de Cidades Inteligentes. O objetivo do projeto é tornar mais eficientes os serviços de iluminação pública, de telecomunicações e geração de energia fotovoltaica para atender a demanda municipal, englobando tanto fatores econômicos quanto sociais.

O prefeito de Angical, Bruno Neto, parabenizou a Superintendência de Parcerias e Concessões (Suparc) pela iniciativa. "Como gestor, tenho noção de como do quanto é caro fazer estudos de viabilidade dessa magnitude, uma licitação desse porte de um projeto assim, seria inviável para o município arcar com isso sozinho. O Governo do Estado, através da Suparc, está de parabéns por disponibilizar ao município de Angical esse apoio de forma gratuita. E rumo ao futuro", disse.

Mais qualidade de vida: obras de implantação da rede de esgoto avançam em Timon.

Casas são derrubadas e estrada é cortada para despejar famílias em Sigefredo Pacheco

Queimada Nova, no Piauí, poderá financiar até R$ 2,8 milhões em obras viárias

A partir da substituição de todas as luminárias por lâmpadas de LED, haverá uma redução no gasto com iluminação pública, além de garantir uma valorização do espaço urbano, com maior aproveitamento do ambiente noturno, oferecendo mais segurança e interação social. O projeto prevê, ainda, a geração de energia fotovoltaica, através de instalação de placas solares nos telhados de prédios públicas, reduzindo o custo com energia predial do município e garantindo a adoção de uma fonte renovável de energia que possibilita menor geração de gases poluentes no meio ambiente.

Além da disponibilização de internet para todos os prédios públicos, o projeto prevê a disponibilização de 8 pontos de Wi-Fi público para a população, visando à democratização do acesso à internet, e 11 pontos de videomonitoramento, trazendo mais segurança para o município. As imagens reproduzidas pelas câmeras serão disponibilizadas através da rede de telecomunicações para auxiliar as forças de segurança pública.

"Angical será a única cidade do Piauí a ser completamente monitorada com cercamento eletrônico e com um Centro de Controle e Operação para trabalhar no acompanhamento dessas imagens do sistema de vigilância de forma rotineira, monitorando a cidade em tempo real e auxiliando no trabalho das forças de segurança", explica a superintendente Viviane Moura.

A audiência pública é parte do processo das PPPs que possibilita à população ajudar diretamente na tomada das decisões da gestão. É nela que se dá o diálogo com a sociedade na busca de soluções para as demandas sociais, garantindo transparência e fortalecendo a cidadania e o respeito aos desejos do povo. O prefeito de Angical agradeceu também o empenho da gestora da Suparc em aproximar a ferramenta das PPPs ao público que com elas será beneficiado. "Muito obrigado por ter explicado com uma linguagem tão informal e de fácil entendimento para todos os nossos colaboradores e a sociedade civil como um todo", apontou Bruno.

Na próxima semana haverá outra audiência pública para discutir o projeto, dessa vez com transmissão virtual para atingir ainda mais pessoas e contar o caso de Angical.

Fonte: Ascom Suparc

Próxima notícia

Dê sua opinião: