PI 247

Rompimento de rodovia compromete safra recorde de grãos no Sul do Piauí

De acordo com a Aprosoja, a expectativa é de 5,6 milhões de grãos sejam escoados


Trecho da rodovia PI 247 se rompe

Trecho da rodovia PI 247 se rompe Foto: Netto Fotografia

As fortes chuvas que atingiram a região Sul do Piauí provocaram o rompimento de um trecho da rodovia PI-247, uma das principais vias de acesso do escoamento da produção de grãos do cerrado piauiense. Com isso, a produção de grãos na região de Uruçuí e Ribeiro Gonçalves ficou comprometida.

Segundo a Associação dos Produtores de Soja do Piauí (Aprosoja Piauí), o problema das estradas se agrava exatamente no ano em que Piauí obteve aumento de área plantada acima da média nacional, crescimento de 7%. A expectativa é de 3 milhões de toneladas somente de soja e um total de 5,6 milhões de grãos. 

Segundo o presidente da Aprosoja Piauí, Alzir Neto, as condições de chuva são boas para o campo, mas não para a logística do transporte da safra recorde, tendo em vista que os problemas de infraestrutura da região perduram há mais de 20 anos.

A Aprosoja informou que já acionou o Governo do Estado, através do DER (Departamento de Estradas de Rodagem do Piauí) e o Ministério da Infraestrutura, através Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT-PI).

“Já acionamos os órgãos estaduais e do Governo Federal, também, porque esta é uma das estradas incluídas na questão da federalização e a recuperação dos trechos é urgente sob risco de perdas na nossa safra”, afirma.  

Segundo o Superintendente do DNIT-PI, Ribamar Bastos, a Superintendência irá iniciar a instalação de uma ponte provisória móvel, através do BEC (Exército Brasileiro), em até 48 horas. O Governado do Estado, através do DER-PI, comprometeu-se em arcar com as despesas de transporte, montagem e operação da ponte.

O grande volume de chuvas também provocou a cheia no Rio Parnaíba, deixando várias famílias desabrigadas na cidade de Uruçuí. Pelo menos 12 famílias foram retiradas de suas casas e levadas para locais seguros.

Próxima notícia

Dê sua opinião: