OPERAÇÃO REAGENTE

Prefeitura de Picos diz que agiu dentro da legalidade na compra dos testes da Covid-19

A Prefeitura de Picos está sendo alvo da Polícia Federal por suspeita de irregularidades na compra de testes


PF faz buscas na Secretaria Municipal de Saúde de Picos

PF faz buscas na Secretaria Municipal de Saúde de Picos Foto: Prefeitura de Picos

A Prefeitura Municipal de Picos divulgou uma nota sobre a Operação Reagente, da Polícia Federal, que encontrou indícios de irregularidades na compra de testes para Covid-19 em quatro cidades do Piauí. Em Picos, os policiais cumpriram mandados de busca e apreensão na sede da Prefeitura e a suspeita é de superfaturamento na aquisição dos testes, com a utilização de documentos falsos na dispensa de licitação instaurada pela Prefeitura de Picos para compra de testes de Covid-19.

De acordo com a nota divulgada por meio da Secretaria Municipal de Saúde,  a Prefeitura de Picos disse está colaborando com a operação da Polícia Federal e do Tribunal de Contas do Estado acerca do processo de dispensa de licitação para aquisição dos testes rápidos para à Covid-19. 

"Na manhã de hoje, 2, a Prefeitura de Picos está fornecendo a documentação necessária aos investigadores. A administração municipal frisa que agiu dentro da legalidade", disse a nota.Testes rápidos da Covid-19 foram comprados acima do valor 

Segundo a PF, os contratos foram direcionados a empresa integrante do grupo criminoso, responsável pela venda de exames com preços superfaturados. Os testes IGG/IGM que vendidos a clínicas particulares aos preços de R$ 120 a 150 estavam sendo comprados por órgãos públicos pelos valores de R$ 170 a 210, o que representa superfaturamento de aproximadamente 40%, com prejuízo direto a recursos oriundos de emendas federais.

Os mandados também estão sendo cumpridos contra as prefeituras de Bom Jesus e Uruçuí. Em Teresina, os mandados são no laboratório e distribuidor de medicamentos Produlab.


Próxima notícia

Dê sua opinião: