VIOLÊNCIA EM DESPEJO

Famílias são expulsas de casas em terrenos que seriam do prefeito de Barras

Já sem as casas, os moradores foram até a frente da Prefeitura de Barras para cobrar explicações do prefeito Capote


Moradores de Barras fizeram protesto contra expulsão de casas

Moradores de Barras fizeram protesto contra expulsão de casas Foto: Reprodução internet

Moradores da cidade de Barras, região Norte do Piauí, denunciam que foram obrigados a deixarem suas casas de forma brusca e violenta por um grupo de homens que invadiu seus terrenos e colocaram todos para fora das casas.

A ação aconteceu nesta terça-feira, 19. Nos vídeos enviados para a redação do Piauí Hoje, os moradores alegam que os terrenos são de propriedade do atual prefeito Edilson Capote e que o título de propriedade aos ocupantes teria sido uma promessa de campanha que estaria sendo descumprida.

Já sem as casas, os moradores foram até a frente da prefeitura de Barras para cobrar explicações do prefeito Capote. A Polícia Militar foi chamada para acalmar os ânimos e evitar violência.

Leia também:

Seduc realiza segundo Corujão da Vitória na quinta (21)

Edital do concurso para Polícia Rodoviária Federal é divulgado;

Em nota, o prefeito Edilson Capote informou que “não é dono do terreno, não visitou invasão, não prometeu título de terra, não incentivou a ocupação e, muito menos, solicitou que a polícia fosse acionada para ação da manhã desta terça”.

Disse ainda é “solidário com a causa dos moradores e se compromete em lutar por políticas habitacionais em Barras”.

Outros moradores da cidade denunciam que a ação tenha sido orquestrada pelo ex-prefeito, Manin Rêgo. Ele é adversário político do atual prefeito. Manin Rêgo já foi condenado por improbidade administrativa e corrupção. Ele não pôde disputar a eleição em 2020 devido à condenação por improbidade que gerou a perda dos direitos políticos.

Moradores afirmam que o terreno foi ocupado por famílias que já possuem moradia e que usam o espaço para vender e especular. Essas pessoas seriam próximas a Manin Rêgo e teriam invadido o local orientadas por ele como forma de desmoralizar a atual gestão de Capote. Duas ou três famílias da ocupação realmente não têm onde morar. Mas a maioria não. 

Leia a nota na íntegra:

A assessoria do prefeito Edilson Capote informa que o gestor não é dono do terreno, não visitou invasão, não prometeu título de terra, não incentivou a ocupação e, muito menos, solicitou que a polícia fosse acionada para ação da manhã desta terça. Por outro lado, o prefeito é solidário com a causa dos moradores e se compromete em lutar por políticas habitacionais em Barras. O prefeito está em Teresina, com o deputado Georgiano Neto, fazendo visitas  em busca de melhorias para o município e sua população.

Veja os vídeos:



Próxima notícia

Dê sua opinião: