LUÍS CORREIA

Jurada passa mal e julgamento de suspeito de matar a professora Selene é adiado

O adiamento foi solicitado pela defesa do acusado, após uma das juradas ter passado mal e uma profissional de saúde ter adentrado no local durante a sessão para socorrê-la


Acusado de matar professora é julgado em Parnaíba

Acusado de matar professora é julgado em Parnaíba Foto: Arquivo pessoal

O julgamento de Raimundo Neto Pereira, 34 anos, acusado de praticar feminicídio contra a própria esposa, Selene Veras Roque, 28 anos, morta com 26 facadas em junho de 2018, em Luís Correia, litoral do Piauí, foi adiado para o dia 8 de julho.

O adiamento foi solicitado pela defesa do acusado, após uma das juradas ter passado mal e uma profissional de saúde ter adentrado no local durante a sessão para socorrê-la.
Raimundo Nonato Pereira é acusado de matar a própria esposa no dia 3 de junho de 2018, nazona rural de Luís Correia. Ele está sendo julgado por júri popular pelo crime de feminicídio.

O suspeito se entregou à polícia três dias após o crime e confessou. A audiência de instrução aconteceu ainda em julho de 2018, na ocasião, a defesa do acusado afirmou que ele teve um surto. No entanto, foi realizado um exame de sanidade mentale atestou que o réu tinha consciência do que fez no momento do crime.

Selena Veras era professora da rede municipal de ensino de Luís Correia. O crime ocorreu depois que Raimundo foi buscar a esposa em Parnaíba, onde ela fazia curso de pós-graduação. Ao chegar na residência, o casal teve uma discussão e Raimundo desferiu os golpes de faca contra Selene, que morreu no local.

Próxima notícia

Dê sua opinião: