MUDANÇA

Diante da pandemia, brasileiros procuram por imóveis nos EUA e Portugal

Em janeiro de 2021, a procura por imóveis nos EUA cresceu 111% e em Portugal 40%


Portugal

Portugal Foto: Divulgação

A pandemia de Covid-19 atinge o mundo todo. Diante das inúmeras mortes pelo vírus Sars-Cov-2, programas de vacinação vêm sendo adotados ao redor de todo planeta e se revelam uma fonte de esperança. Ainda diante desse cenário, diversas fronteiras continuam fechadas e políticas para concessão de vistos foram alteradas.

Apesar do momento, muitos brasileiros continuam sonhando com a oportunidade de morar fora. De acordo com uma recente pesquisa liderada pela plataforma Apto, em janeiro deste ano, a procura por casas e apartamentos nos Estados Unidos aumentou 111%, e em Portugal, 40%.

De maneira geral, Miami e Orlando são tradicionalmente conhecidas por suas volumosas comunidades brasileiras, mas Portugal também tem se destacado no cenário mundial. O número de brasileiros que moram no país europeu saltou de 105.423 em 2018 para 150.854 em 2019, segundo dados do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras do país europeu, revelando um crescimento de 43%.

Atualmente, de cada quatro estrangeiros vivendo em solo português, um vem do Brasil. E quem tem a intenção de morar fora já deve antecipar as burocracias. Quer se tornar um cidadão português e se mudar para o país também? Saiba como:

1. Descubra o seu parentesco

Antes de procurar obter uma dupla cidadania europeia é preciso saber se realmente há uma ascendência estrangeira. Por isso, é ideal começar pesquisando em seu histórico familiar. Até mesmo quem procura por nacionalidade portuguesa para trinetos pode obter seu direito, dependendo da situação familiar.

2. Reúna os principais documentos

Após descobrir o seu parentesco, o segundo passo é reunir os principais documentos para comprovação do vínculo sanguíneo. Nesse caso, vale consultar outra vez os familiares mais velhos, e tentar achar certidões antigas, ou quaisquer outros documentos. Além do contato familiar, é importante entrar em contato com cartórios, a administração de igrejas/paróquias e cemitérios que possam contar com informações de nascimento, profissão, filiação e morte do cidadão português ou cidadã portuguesa.

3. Atenção com os prazos e informações do processo

Para obter a dupla cidadania europeia é necessário se atentar aos prazos e especificações técnicas dos formulários. Embora seja possível conduzir por conta própria os processos de nacionalidade, na maior parte das vezes é necessário contar com um serviço de assessoria especializada. Com todos os requisitos preenchidos, uma assessoria cuidará dos trâmites legais e da emissão dos documentos necessários junto dos órgãos competentes, além de oferecer segurança e comodidade para realizar o objetivo.

Próxima notícia

Dê sua opinião: