Geral

Diretores do Sindserm são agredidos por PM durante manifestação em escola

Sinésio Soares, presidente do Sindicato dos Servidores Municipais de Teresina foi empurrado violentamente durante o protesto

Da Redação

Terça - 02/04/2024 às 14:45



Foto: Reprodução Sindicalistas são agredidos durante manifestação
Sindicalistas são agredidos durante manifestação

Membros do Sindicato dos Servidores Municipais de Teresina (Sindeserm), entre eles o presidente, Sinésio Soares, foram agredidos durante um protesto na Escola Municipal Alcides Lebre, na zona sul da capital, ocorrido na manhã desta terça-feira (02). Sinésio foi empurrado violentamente pelo policial e caiu no chão. Uma mulher também foi empurrada. A ação do policial foi gravada pelos manifestantes. Os servidores estavam no local para pressionar o prefeito Doutor Pessoa pela sanção do reajuste salarial aprovado pela Câmara Municipal de Vereadores. Já Doutor Pessoa cumpria agenda oficial.

De acordo com o presidente do Sindserm, os servidores cobravam a aprovação do reajuste de 20,8 no salário dos servidores da Rede de Ensino da capital, aprovado pela Câmara há duas semanas. No momento que o prefeito saia da escola com a comitiva de segurança os manifestantes se aproximaram com cartazes cobrando a sanção. No vídeo é possível ver Sinésio e uma outra mulher sendo empurrados.

"Estava a Escola Municipal Alcides Lebre, nós nos deslocamos até lá, armados apenas dos nossos cartazes, quando nos surpreendemos que na saída do prefeito a gente mostra os cartazes. E os dois policiais, um deles faz até segurança particular do prefeito, na residência dele também,  eles vieram pra cima da gente, os dois sacaram as armas, nos agrediram", disse.

A diretora do sindicato, Daniele Brito foi lesionada, conforme análise do Instituto Médico Legal. Os professores agredidos registraram o boletim de ocorrência no décimo terceiro Distrito Policial no bairro Três Andares.

"A nossa diretora Daniele Brito já registrou o boleto de ocorrência de tudo que aconteceu conosco, ela teve uma lesão no lado superior e já foi constatado no IML de que houve a lesão corporal e pra nós é um absurdo, que nós queremos apenas que o prefeito sancione".

Sinésio ainda relembrou outros casos em que os professores foram agredidos pelo prefeito Doutor Pessoa e confirmou que o grupo vai estar novamente na Câmara de Vereadores nesta quinta-feira exigindo a coerência da proposta.

"O prefeito já deu um chute na canela da professora Olivia no ano passado também. Foi registrado o boletim de ocorrência, já empurraram a professora Margareth. Então, nós não aceitamos esse tipo de agressão e nem agressão do desvio dos recursos. A gente soube agora no final da manhã de que ele vetou, portanto, nós estaremos na Câmara Municipal exigindo que os vereadores mantenham a sua coerência e mantenham o voto", declarou.

Greve na educação

Os professores da rede municipal de ensino estão de greve desde o dia 04 de março e não tem previsão para voltar as atividades. A categoria cobra o cumprimento do acórdão nº 219/2023 assinado entre a Prefeitura Municipal de Teresina e o Tribunal de Contas do Estado (TCE), que prevê o pagamento reajuste de 17,23% no piso nacional da educação para os servidores da educação, referente ao ano de 2022.

Veja o vídeo:

Siga nas redes sociais

Compartilhe essa notícia: