DENÚNCIA

Funcionários denunciam infecção em massa por coronavírus na Maternidade do Dirceu

O Piauí Hoje recebeu uma série de denúncias relacionadas a Maternidade Wall Ferraz; confira


Funcionários cuidam até da limpeza de mesas da Maternidade Wall Ferraz

Funcionários cuidam até da limpeza de mesas da Maternidade Wall Ferraz Foto: Aquivo do MPE

A Maternidade Wall Ferraz, localizada no bairro Dirceu Arcoverde, na Zona Sudeste de Teresina, tem sido alvo constante de denúncias por parte da comunidade aos órgãos públicos responsáveis pela fiscalização na área de saúde. Por causa disso, varias ações já fora ajuzidas na Justiça. Desde 2018, o Ministério Público do Estado do Piauí - MPE/PI, por exemplo, cobrar da Prefeitura de Teresina, através da Fundação Municipal de Saúde a conclusão de uma reforma. 

Agora, nesse momento de pandemua, a direção da maternidade pode ser denunciada também por negligência, porque,  por falta de providências, teria causado a contaminação em massa dos funcionários com o novo coronavírus. Apesar disso, a direção daquele hospital não se pronuncia e nem da satisfação à comunidade.

Nesta sexta-feira (10), após a publicação de uma notícia sobre o afastamento de 14 profissionais da área de parto da Maternidade Wall Ferraz, no bairro Dirceu, zona Sudeste de Teresina. o Piauíhoje.com recebeu denúncias de funcionários da unidade relacionadas a falta de desinfecção do prédio e  falta de distribuição de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs), o que tem aumentando a contaminação dos trabalhadores por Covid-19. Ainda segundo os denunciantes, mais de 40 profissionais da unidade já foram infectados pelo novo coronavírus.

Segundo um funcionário que pediu para não ter a identidade revelada, durante os quatro meses de pandemia, a Maternidade Wall Ferraz nunca passou por uma sanitização e muitos profissionais já foram infectados pelo novo coronavírus no local. 

"Está sendo feita apenas a higienização pela equipe terceirizada responsável pela limpeza da maternidade. A equipe está sendo cobrada por limpezas diárias e é quase que impossível de serem feitas em toda a unidade, pela equipe ser pequena, e de estarem sobrecarregados devido ao aumento das  limpezas mais intensas. A diretoria está se recusando desde o início a fazer a sanitização, e quando isso é questionado, fazem pouco caso. Com isso, os casos de contaminação pelo coronavirus está aumentando absurdamente entre os funcionários, que estão sendo obrigados a trabalhar normalmente, não fazendo rodízios pra minimizar os riscos", denuncia o funcionário.

Foto registrada nas dependências da maternidade. Gestantes alegaram mau cheiro e falta de limpeza 

O funcionário disse ainda que a maternidade está em obra e ocorreu um grande fluxo de trabalhadores dessa obra transitando dentro da maternidade junto com os funcionários. Além disso, ele denunciou ainda que há mais de 40 casos de profissionais da maternidade que já contraíram o novo coronavírus.

"Esses 14 casos que foram informados ontem são os mais recentes, já tiveram muito mais casos. Com esses, passa de 40 o número de infectados no trabalho. Desde agentes de portarias, enfermeiros, médicos, muitos já contraíram a doença aqui", afirma o denunciante.

Uma médica que trabalha na maternidade e também não quer se identificar, ressalta que a Fundação Municipal de Saúde (FMS) está alegando que está sendo feita a sanitização da maternidade, mas diz que isso nunca ocorreu.

"Nunca foi feita sanitização até a presente data. Inúmeros Funcionários se contaminando diariamente, entre médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem e administrativos, com mais de 40 funcionários contaminados", diz  a médica.

Por fim, os funcionários falaram ainda que o os EPI's são selecionados apenas para alguns profissionais porque a  diretora geral, Mércia Cassandra, juntamente com o enfermeiro infectologista decidiram isso com a  justificativa de que a maternidade não ser porta aberta para pacientes com Covid-19. 

Diretora da Maternidade Wall Ferraz, Mercia Cassandra, não quer falar sobre o assunto. Fica se escondendo atrás de notas da FMS.

"A maternidade recebe várias pacientes com sintomas ou diagnosticadas com Covid-19 e aguardam lá por horas uma ambulância pegá-las na mesma área onde todos os funcionários transitam. Foi proibido a entrega de máscaras cirúrgicas para alguns funcionários e está sendo autorizado somente máscaras de TNT, que não é ideal  para quem trabalha dentro de uma unidade de saúde, aumentando assim os casos de contaminação e os riscos", conclui. 

OUTRO LADO

O Piauíhoje.com entrou em contato com a Fundação Municipal de Saúde (FMS) e questionou o número de profissionais da saúde da rede pública municipal que já foram infectados pelo novo coronavírus, portanto a FMS não informou até o momento. A FMS enviou uma nota informando que as denúncias sobre a distribuição de EPIs na Maternidade Wall Ferraz não procede e que a maternidade não faz nenhuma distinção entre os funcionários para a distribuição de máscaras ou qualquer equipamento necessário para a segurança dos profissionais.

Sobre a sanitização, a FMS disse que a maternidade segue a rotina de desinfecção com o uso de produtos padronizados pela ANVISA para a limpeza de ambiente hospitalar estabelecida no controle mensal de higienização.

O Piauíhoje.com não conseguiu contato com a diretora da Maternidade, Dra. Mércia Cassandra.  Veja na íntegra a nota da FMS enviada ao Piauíhoje.com:

A Fundação Municipal de Saúde informa que não procedem as denúncias de que a distribuição de EPIs na maternidade Wall Ferraz estaria em falta. A maternidade não faz nenhum tipo de distinção entre funcionários para a distribuição de máscaras ou qualquer equipamento necessário para a segurança dos profissionais, que é feito mediante controle diário e com anuência documentada de toda a equipe técnica.


A maternidade Wall Ferraz segue a rotina de desinfecção com o uso de produtos padronizados pela ANVISA para a limpeza de ambiente hospitalar estabelecida no controle mensal de higienização, bem como a limpeza terminal após o atendimento de gestantes com síndrome gripal, conforme o plano de contingência institucional que atende as diretrizes da nota técnica no combate ao Coronavírus adotada em todo o país. Também foi elaborado um protocolo de orientações para o fluxo de atendimento, de forma a evitar aglomerações de funcionários e inviabilizar a transmissão do novo coronavírus em ambiente de trabalho.


A FMS informa ainda que não há problemas na escala médica da Maternidade Wall Ferraz, portanto a demanda de gestantes está sendo atendida na totalidade. A FMS segue todo o protocolo de afastamento dos servidores positivados para COVID-19. Atualmente a referida maternidade conta com 316 servidores, sendo que 14 deles estão afastados de suas atividades devido à doença COVID-19, sendo que 13 estão em tratamento em domicílio e 1 deles está internado.


Sobre a denúncia de que os funcionários estariam sendo expostos à poeira resultante das obras na UTIN que acontecem no local, que seguem em funcionamento por serem consideradas um serviço essencial e urgente, a direção da maternidade informa que foi elaborado um documento sugerindo uma reorganização no serviço de forma a evitar este problema, porém o mesmo foi recusado pelos funcionários, que optaram por livre e espontânea vontade trabalhar nas condições atuais.

Desde 2018 o MP cobrar a reforma que nunca termina na Maternidade Wall Ferraz 

Próxima notícia

Dê sua opinião: