ENCONTRO

Banco Mundial financiará projeto de vigilância em saúde e assistência social no Piauí

A governadora Regina Sousa acertou os detalhes do projeto em reunião no Palácio de Karnak


Governo do Estado acerta detalhes de projeto com Banco Mundial

Governo do Estado acerta detalhes de projeto com Banco Mundial Foto: Divulgação

A governadora Regina Sousa (PT) recebeu, nessa segunda-feira (1º), representantes do Banco Mundial para a abertura da terceira missão de preparação do projeto Piauí Pilares de Desenvolvimento Humano. O objetivo do projeto é fortalecer o sistema de vigilância em saúde e o setor de assistência social, numa operação que envolverá as Secretarias da Saúde e da Assistência Social e a Coordenadoria de Políticas para as Mulheres, coordenado pela Secretaria Estadual do Planejamento. O encontro ocorreu no Palácio de Karnak e a missão do Banco Mundial vai até o próximo dia 05 de agosto.


Durante o encontro, a governadora explicou que o projeto precisa passar por várias fases. “São reuniões que o Banco Mundial faz quando está trabalhando a elaboração do projeto nos estados, são várias etapas para chegar à formalização.  A primeira fase foi a autorização pela Assembleia Legislativa. Quando há essa autorização muitas pessoas já espalham que foi feito empréstimo. Porém agora, que estamos elaboração, são várias etapas que o banco impõe para avaliar se estamos cumprindo. Escolhemos áreas que estão necessitando de reforço, a exemplo da vigilância sanitária, assistência social, segurança alimentar e transferência de renda. Temos um prazo até dezembro para finalizar essa parte do projeto e partimos para a votação no Senado”, explicou. Regina destacou que “o Piauí está bem, com uma capacidade e endividamento que dificilmente o Senado irá rejeitar”, disse.

O secretário da Assistência Social, José Santana, destacou que entre as ações a serem contempladas está a estrutura física e de equipamentos trazendo melhores condições de trabalho para os técnicos desemprenharem o trabalho junto às famílias mais vulneráveis. Como ação direta o gestor enfatizou o Cartão Social. 

“Vislumbramos um aumento no número de famílias atendidas e buscarmos corrigir distorções que acontecem no próprio programa federal, na qual, por exemplo uma família que possui apenas um dependente recebe o mesmo valor de uma mãe que tem seis filhos. A prioridade é toda a área da assistência, principalmente no pós-pandemia é o socorro às famílias mais necessitadas”, disse o secretário.

A oficial sênior de operações do Banco Mundial, Daniela Pena, explica que o Piauí foi contemplado com a aprovação, pelo Governo Federal, de uma Carta Consulta no valor de 50 milhões de dólares. “Esse projeto tem a contrapartida do Estado de 12 milhões de dólares totalizando 62 milhões de dólares e cobre dois setores, assistência social e saúde. Vamos estar apoiando o cartão social que já está em curso, a restruturação da Secretaria da Assistência Social e provavelmente uma inclusão produtiva. Tudo isso, em um contexto pós pandemia, que deixou um déficit muito grande para o Brasil e para o Piauí. Nós já havíamos trabalhado no Estado antes e a nossa proposta é finalizar a preparação desse projeto até o fim desse ano para começar a execução em 2023”, relatou.

Fonte: CCOM

Próxima notícia

Dê sua opinião: