CORRIDA

Ello Racing encerrou o Sertões com a doação de brinquedos e acesso digital

Com o Projeto Chico Brasil, a equipe acompanhou todo o roteiro da competição fazendo contato com as comunidades sertanejas


Projeto Social

Projeto Social Foto: Gabriel Sousa Massote

O Sertões 2019 terminou neste domingo (01), após percorrer quase 5 mil quilômetros, entre Campo Grande (MS) e Aquiraz (CE); foram oito etapas que atravessaram mais de 40 cidades, com pernoites em Costa Rica (MS), Barra do Garças (MT), São Miguel do Araguaia (GO), Porto Nacional (TO), São Félix do Jalapão (TO), Bom Jesus (PI) e Crateús (CE).

A Ello Racing – do piloto Sálvio Costa e do navegador Eduardo Alexandre da Silva –, levou para o evento o Chico Brasil, um projeto social que teve como objetivo doar brinquedos às crianças das comunidades carentes que estavam pela rota do Sertões, bem como, conectar os povos do sertão brasileiro.

“O Chico é uma ferramenta de inteligência artificial usada para a otimização e economia nos processos documentais do agronegócio (desburocratiza, agiliza e gera economia em toda a cadeia produtiva). Quando começamos a usá-la, percebemos que o Chico funciona como banco de dados e elabora contratos de forma otimizada; pode fazer cotações e consultas de mercado, compras e, tudo isso, sem custo operacional”, explicou sobre o Chico, o piloto Sálvio. A partir disso, veio a ideia de criar o projeto social Chico Brasil, e para dar início aos trabalhos (envolvendo testes e pesquisas), não existe lugar melhor se não o sertão brasileiro – onde há os extremos, diferenças sociais e culturais, problemas com conectividade e difícil acesso etc. “Não tem como pensar macro no Brasil sem conhecer o sertão”, salientou Costa.

Durante essas visitas, a Ello Racing contribuiu para o acesso tecnológico dessas comunidades e tornar-se uma ferramenta social de conexão. “Somos uma rede colaborativa formada por pessoas que tem como princípio o compartilhamento do conhecimento. Possuímos um projeto com o Instituto Alpha Lumen que, dentre diversas iniciativas, está engajada com o aprimoramento da qualidade de ensino em instituições públicas, e tem um trabalho específico com estudantes talentosos da rede pública de ensino, a fim de promover a difusão da ciência e tecnologia, cultura e arte”, explicou o responsável pela gestão e operação da Chico Brasil e gerente da Chico Hight Intelligence (principal parceira da Ello neste projeto), Douglas Leite.

De acordo com Sálvio, as crianças representam o primeiro par de folhas de quando uma planta se projeta para a vida. “Elas são reflexo de nossas necessidades primárias, e como ferramenta de troca científica, sempre dão informações precisas, daquilo que sentem no coração”, apontou Costa, reforçando de que a ideia do Chico Brasil, além da doação de brinquedos, foi conectar as comunidades carentes do sertões com outras instituições de ensino e fazer uma troca de conhecimentos. “Não existe conhecimento sem tecnologia e não adianta tecnologia sem conhecimentos tradicionais. O Brasil é um grande celeiro e, unificando o conhecimento científico com o conhecimento popular podemos acelerar este processo. O Chico Brasil no Sertões foi para conectar esses dois mundos”, completou.

Por fim, a Ello Racing garante que a essência do Chico Brasil está na conexão, proximidade, carinho, respeito, solidariedade e abraços. “Fomos ao Sertões para aprender, deixar um pouco da nossa alegria e trazer a possibilidade de conectar as pessoas de forma geral”, encerrou Costa.

Patrocinador: Ello Soluções e Tecnologia

Apoiadores: A. I. Chico, Breng, IEAv, Alpha Lúmen, Parque Tecnológico São José dos Campos, Agro Tic Vale, Fair Trade, Costas 5588, Sertões, Café Othello, R.V. Assessoria, Grupo Mais Saúde, Sálvio Costa Advogados, Rancho Dom

Parceiro: SAS - Saúde e Alegria no Sertões

Preparação dos carros: Equipe Faster

Fonte: Liberdades de Ideias

Próxima notícia

Dê sua opinião: