MÚSICA

Morre o cantor cubano Pablo Milanés, que escreveu a trilha sonora da Revolução Cubana

Pablo Milanés tinha 79 anos e estava internado em um hospital na Espanha


Pablo Milanés

Pablo Milanés Foto: Reprodução/Facebook

 Morreu nesta terça-feira (22), o cantor e compositor cubano Pablo Milanés, um dos expoentes da Nueva Trova Cuban. Ele tinha 79 anos e morreu em Madri, na Espanha.  Segundo a assessoria do artista, Milanés estava internado havia alguns dias na capital espanhola e tinha, entre outras doenças, um problema renal que o forçou a se submeter a um transplante de rim em 2014. 

O intérprete de clássicos como "Yolanda", "El breve espacio que no estás" e "El amor de mi vida" foi obrigado recentemente a cancelar vários shows da turnê Días de Luz.

Ao contrário de muitos artistas cubanos, tanto em suas declarações quanto nas letras de suas canções, Milanés sempre lutou por mudanças políticas na ilha. No disco “Regalo”, lançado há dez anos, músicas como “Dos preguntas de um día” refletem sobre as feridas abertas nestes 60 anos de revolução e perguntam abertamente se “valeram a pena”.

Nascido em 24 de fevereiro de 1943 em Bayamo, leste da ilha, abraçou fortemente a revolução em seus primórdios e depois se distanciou, mas nunca rompeu a relação que o unia a seu povo por meio da música. Em entrevista ao Globo em 2012, disse que se considerava acima de tudo uma pessoa responsável e preocupada com os problemas do país. Por isso nunca se calou. "O silêncio destrói”, diz em uma de suas letras.

O cubano tinha muitos amigos no Brasil, entre eles os cantores e compositores Chico Buarque e Milton Nascimento, com quem deixou gravações inesquecíveis.

Gal Costa morre aos 77 anos

Cantora Iza se separa do marido, Sérgio Santos, após 4 anos de casamento

Claudia Métne homenageia os 200 anos de Independência do Brasil com um desfile de moda

Fonte: Extra

Próxima notícia

Dê sua opinião: