DINHEIRO

INSS injeta mais de R$ 2,5 bilhões na economia do Piauí em apenas 1 mês

O Instituto antecipou o pagamento do 13° aos aposentados e pensionistas da Previdência como forma de colaborar no enfrentamento da crise da Covid-19


Previdência

Previdência Foto: Divulgação

O Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) começa pagar, antecipadamente, na próxima segunda-feira (25), a segunda parcela do 13º de aposentados e pensionistas. O pagamento vai até dia 5 de junho, e segue a numeração dos benefícios, conforme a tabela do INSS para 2020.

Para aqueles que recebem um salário mínimo, o depósito da antecipação será feito entre os dias 25 de maio e 5 de junho, de acordo com o número final do benefício, sem levar em conta o dígito verificador. Segurados com renda acima de um salário mínimo terão seus pagamentos creditados entre os dias 1° e 5 de junho.

Em todo o país, 35,8 milhões de pessoas receberão seus benefícios de maio. Desse total, 30,8 milhões de beneficiários receberão a segunda parcela do 13º.

O INSS injetará na economia do país um total de R$ 71,5 bilhões. Mais de R$ 23,8 bilhões serão só para bancar esse segunda parcela desse abono anual pagos aos trabalhadores e aposentados.

No Piauí, 670.3 mil segurados do INSS receberão seus proventos referentes ao mês de maio. Destes, 584.3 mil têm direito e vão receber a segunda parcela do 13°.

Com isso, o INSS vai injetar novamente mais de R$ 1,3 bilhão na economia do estado. Serão mais de R$ 335.8 milhões só para custear a segunda parcela do 13° aos aposentados e pensionistas.

No final de abril e início deste mês, o INSS já havia aquecido a economia do Piauí com mais de R$ 2,1 bilhão para o pagamento dos benefícios previdenciários e da antecipação da primeira parcela 13°.

Quem recebe

Por lei, tem direito ao 13º quem, durante o ano, recebeu benefício previdenciário de aposentadoria, pensão por morte, auxílio-doença, auxílio-acidente ou auxílio-reclusão.

Na hipótese de cessação programada do benefício, prevista antes de 31 de dezembro de 2020, será pago o valor proporcional do abono anual ao beneficiário. Nesta parcela, vale lembrar, é feito o desconto do Imposto de Renda (IR).

Aqueles que recebem benefícios assistenciais (Benefício de Prestação Continuada da Lei Orgânica da Assistência Social – BPC/LOAS e Renda Mensal Vitalícia – RMV) não têm direito ao abono anual.

Abaixo, a tabela com os valores da segunda parcela do abono anual por estado:

Segunda parcela.pdf

Fonte: ACS/INSS

Próxima notícia

Dê sua opinião: