RECURSOS

BNB amplia limite de financiamento para agricultores familiares

O aumento de 20% no valor financiável do programa permite, ainda, a aplicação de mais recursos em itens de infraestrutura da propriedade


Agricultura

Agricultura Foto: Divulgação

 O limite de financiamento do Agroamigo Crescer, uma das modalidades do Agroamigo, programa de microfinança rural do Banco do Nordeste, passou de R$ 5 mil para R$ 6 mil, o que representa incremento de 20% no valor financiável. O aumento possibilita ao agricultor familiar, por exemplo, aplicar até 35% do recurso em itens destinados a custeio, incluindo compra de vacinas, ração, dentre outros produtos.

Na bovinocultura, atividade financiada de maior destaque no Agroamigo Crescer, o cliente também pode adquirir animal de melhor aptidão, gerando a possibilidade de produzir em maiores quantidades de leite, queijo ou outros produtos derivados dos laticínios, garantindo mais receitas e maior êxito ao empreendimento.

O aumento de 20% no valor financiável do programa permite, ainda, a aplicação de mais recursos em itens de infraestrutura da propriedade, a exemplo de reforma ou implantação de cercas ou construção de pocilgas que acomodem maior número de animais, barragem com maior capacidade de armazenamento, poço, bem como a aquisição de itens de melhor qualidade e eficiência, como kits de irrigação.

Ao financiar investimentos das atividades agropecuárias e não agropecuárias desenvolvidas em estabelecimentos rurais ou em áreas comunitárias rurais próximas e a implantação, ampliação e modernização de infraestrutura de produção e prestação de serviços, como turismo rural e produção de artesanato, o Agroamigo Crescer visa gerar emprego e mão de obra familiar no meio rural.

O programa beneficia agricultores e agricultoras familiares com renda bruta anual familiar de até R$ 23 mil, a exemplo de criadores de animais, fruticultores, pescadores artesanais, apicultores, artesãos, dentre outros que pertencem ao Grupo B do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf). A ampliação do limite de financiamento atende à Resolução n.º 4.013, do Banco Central, que entrou em vigor no último dia 1º de julho, concomitantemente à vigência do Plano Safra 2021-2022.

O prazo de financiamento é de até 2 anos, incluído até 1 ano de carência, com juros de 0,5% ao ano e bônus de adimplência de 25% aplicado sobre cada parcela paga em dia. Quando o pagamento é efetuado no vencimento e se refere a financiamento de projeto localizado na região do semiárido, o bônus chega a 40%.

A modalidade de crédito do programa Agroamigo apresenta, ainda, a vantagem da aplicação da metodologia do microcrédito produtivo orientado e acompanhado, que inclui o atendimento pelo agente de microcrédito na própria comunidade, a possibilidade de abertura de conta corrente e poupança - com acesso a cartão de débito - e a renovação de crédito após pagamento.

O que você precisa saber sobre roupas no atacado online

Vendas no comércio crescem 10,1% no primeiro semestre, diz Serasa

Mercado financeiro eleva projeção da inflação para 6,31%


Resultados do semestre

Com os resultados do Agroamigo Crescer somados aos do Agroamigo Mais, modalidade que atende agricultores familiares enquadrados no Pronaf, com exceção dos grupos A, A/C e B, em operações de até R$ 20 mil e limite de endividamento de até R$ 40 mil, o Banco do Nordeste investiu, no primeiro semestre de 2021, R$ 1,59 bilhão. O valor corresponde a 299.804 operações que beneficiaram agricultores e agricultoras familiares dos 9 estados do Nordeste e da região norte dos estados de Minas Gerais e Espírito Santo, que compõem a área de atuação do Banco do Nordeste.

Em termos de valores, o incremento foi de 28,65% em relação aos investimentos realizados em igual período do ano passado, quando o Agroamigo aplicou R$ 1,23 bilhão para 242.921 operações de crédito. No Piauí, especificamente, foi contratado, no primeiro semestre de 2021, o total de 34.452 operações de crédito, equivalentes R$ 184,44 milhões.

Fonte: IMPRENSA - Banco do Nordeste

Próxima notícia

Dê sua opinião: