TERESINA

Acidentados aumentam e ocupam leitos que podiam ser usados por pessoas com Covid

Em apenas seis dias o HUT recebeu 162 vítimas de acidente de trânsito; dados são da PMT


Acidente na avenida Henry Wall de Carvalho

Acidente na avenida Henry Wall de Carvalho Foto: Redes sociais

Entre os dias 4 e 10 de maio, O Hospital de Urgência de Teresina (HUT) viu crescer o número de vítimas de acidentes de trânsito. Esse aumento preocupa a Prefeitura da capital, uma vez que os internados ocupam leitos que poderiam ser destinados a pacientes com Covid-19 e contribui para o colapso da rede municipal de saúde. O alerta foi feito pelo prefeito Firmino Filho (PSDB) nesta segunda-feira (11).

De acordo com o gestor, em seis dias Teresina registrou 162 vítimas de acidente de trânsito, sendo 153 envolvidas com motos. Para Firmino, isso mostra o quanto o teresinense está descumprindo o isolamento social e o distanciamento físico, pois a maioria dos acidentados consumiram bebidas alcoolicas.

"Hoje recebi uma notícia que me preocupou muito. O HUT teve a pior semana de atendimento a vítimas de acidente de trânsito, desde o início do decreto de isolamento social. Se por um lado isso mostra o quanto as pessoas voltaram a circular, por outro nos preocupa o fato dos leitos do hospital, inclusive UTIs, serem ocupados por quem poderia evitar esse tipo de acidente. Isso diminui muito nossa capacidade de atendimento de pessoas com Covid-19. Para se ter uma ideia dessa elevação, entre os dias 4 e 10 de maio, o número de acidentados foi de 162 vítimas, sendo 153 delas envolvidas com motocicletas. Muitos desses acidentes têm relação com o consumo de álcool", explicou.

Firmino encerrou sua fala mostrando que o município possui limitação quanto aos leitos das Unidades de Terapia Intensiva e que a diminuição dos acidentes, o cumprimento do isolamento garantirá maiores condições de atendimento durante a pandemia.

"Essa responsabilidade é de todos e mesmo uma saída que parece inofensiva, interfere diretamente, em todos os sentidos, na vida das pessoas. Nossos leitos de UTI são limitados e precisamos fazer de tudo para evitar que eles sejam ocupados por situações que possam ser evitadas", finalizou.

Próxima notícia

Dê sua opinião: