EDUCAÇÃO

Rede Municipal de Teresina ganha mais três escolas de tempo integral

As escolas são para alunos da educação infantil e do ensino fundamental


Escola municipal de Teresina

Escola municipal de Teresina Foto: Semec

A Secretaria Municipal de Educação de Teresina (Semec) informou que o ano letivo de 2023 vai contar com mais três unidades de ensino de tempo integral. A decisão segue a política de expansão do atendimento de alunos da Educação Infantil e do Ensino Fundamental em jornada estendida.

“É determinação do nosso prefeito Doutor Pessoa a melhoria contínua nas condições de ensino das escolas municipais e a oferta de novas escolas de tempo integral atende a esse propósito”, afirma o secretário municipal de Educação, Nouga Cardoso.

Escolas que passam a ser de tempo integral:

  •  Escola Municipal Professor Alcides Lebre, na Vila da Paz, que atende do 1º ao 5º ano do Ensino Fundamental;
  •  Centro Municipal de Educação Infantil Júlio Romão, localizado no bairro Alto da Ressurreição, com turmas do Maternal ao II Período;
  •  Escola Municipal Benjamim Soares de Carvalho, no Bairro Macaúba, com turmas do 1º ao 5º ano. 

Agora, a Rede Municipal passa a contar com 49 unidades de ensino de tempo integral: 30 escolas e 19 CMEIs. 

As unidades de ensino passaram por análise dos dados de matrículas, demanda existente e condições estruturais dos prédios, onde se concluiu que atendiam aos requisitos para oferecer a modalidade de tempo integral.

“Quando nós assumimos a gestão, tínhamos 23 escolas de tempo integral e em 2 anos dobramos essa quantidade. Até o final deste ano teremos até 15 novas unidades de ensino construídas e todas elas funcionarão nesta modalidade”, pontua o secretário executivo de Ensino da Semec, Reinaldo Ximenes.

Semec comenta importância da revogação de decreto que segregava alunos com deficiência

Semdec lança formulário para solicitação de eventos na Ponte Estaiada

IPMT vai realizar Prova de Vida para servidores inativos e pensionistas

Siga nas redes sociais
Próxima notícia

Dê sua opinião: