COVID

Comércio pós pandemia: quais as projeções?

Durante o ano de 2020 o mundo se viu parado e com muitas incertezas por causa da pandemia do COVID-19


Comércio

Comércio Foto: Reprodução

A abertura de comércios e empreendimentos que as campanhas de vacinação possibilitaram trazem um novo otimismo, mas as empresas precisam se renovar para o pós-pandemia

Durante o ano de 2020 o mundo se viu parado e com muitas incertezas por causa da pandemia do COVID-19. Grandes e pequenos negócios se viram em novos desafios para se adaptar ao "novo" mundo.

Este ano, uma nova esperança surgiu, uma vez que a vacinação se iniciou em todo o mundo e já está em andamento em terras brasileiras.

Porém, muitas empresas tiveram que fechar as portas, sendo resultado das complicações que o vírus causou além de um número enorme de mortalidade.

Nesse artigo vamos falar sobre como o comércio tem enfrentado essa época de crise. Em meio a tantas adaptações, quais são as projeções e expectativas para o mercado pós pandemia? Confira a seguir!

Quais foram as maiores dificuldades

Como citado anteriormente, muitos comércios, sejam grandes ou pequenos, tiveram um momento de muita incerteza e quedas, mas também houveram grandes aumentos na hora de consumir e comprar algo pela internet.

Quem não utilizava, se viu em um beco sem saída: ou entrava nesse universo, ou apenas se permitia fechar as portas.

O novo chegou e veio para mudar a forma de como é possível ter lucros em um momento em que ninguém ousava sair de casa. Quem conseguiu se integrar, conseguiu melhor adaptação e possibilitou a permanência no mercado.

Não foi apenas no setor de vendas que as empresas enfrentaram dificuldades. Varejistas se viram em crise também com fornecedores, mesmo após a flexibilização do distanciamento e o retorno crescente das lojas.

E após a pandemia?

Uma coisa é certa, o mercado terá que se readaptar após o fim da pandemia. Além da internet, é preciso se reinventar em um novo método de vendas, afinal, o mundo e a forma de consumir produtos e conteúdos jamais serão os mesmos de novo.

Com o retorno dos comércios, o empreendedor já pode observar mudanças e como ele poderá oferecer um meio de vendas que seja compatível com os cuidados e com o seu cliente. 

No Brasil, as pessoas já estão retornando às compras, mas ainda existem aqueles que têm medo de se arriscar, principalmente pelo surgimento de uma nova variante. 

Sendo assim, o que o mercado pode oferecer para não cair e continuar com os níveis de vendas aumentando? A resposta é continuar se adaptando. Observar tendências de consumo e tentar correspondê-las.

É preciso lembrar que para o retorno físico, alguns cuidados continuam obrigatórios para que seja evitado qualquer tipo de proliferação do vírus.

Áreas abertas

A melhor forma de manter um distanciamento social é proporcionar isso aos seus clientes. Empresas que fornecem esse tipo de segurança, com certeza terão maior chance de se arriscar e conseguir se estabilizar.

Mesmo com a vacinação em massa, ainda é muito cedo para retornar com pequenos espaços e sem muita ventilação.

Antes de tudo: higienização

Além do distanciamento e proporcionar áreas com mais ventilação, a higienização dos objetos do local é essencial para garantir a segurança de clientes e colaboradores.

No que diz respeito a restaurantes e comércios, tudo deverá oferecer máxima qualidade e limpeza. 

No setor de moda, por exemplo, algumas lojas já se adaptaram para o funcionamento de prova virtual, garantindo que o cliente faça suas compras sem precisar correr o risco de pegar alguma peça que não foi devidamente limpa após o uso de outra pessoa.

Mas, e as tendências?

Para acertar e conseguir seguir as regras do jogo, as empresas precisam estar atentas às mudanças que surgem graças ao consumidor.

Trocar o físico pelo digital foi o início que deu certo e tende a continuar dando retorno mais positivo. Flyers físicos são coisas do passado, a era digital é o que temos para o futuro.

E com o digital, investir em aplicativos para fornecer entretenimento e consumo para os clientes, com certeza é um acerto central do alvo. As pessoas começaram a se render à facilidade de dar um clique, comprar e consumir o que deseja. 

Além dos aplicativos, o PIX é uma nova forma de realizar pagamentos rapidamente, o que é uma ótima alternativa para o empreendedor conseguir que o seu cliente faça a compra.

Aumento na procura de Self Storage durante o período 

Com tais projeções, a oferta de guarda tudo em São Paulo e outros estados do Brasil não teve queda, pelo contrário, manteve uma procura considerável.

Trata-se do que conhecemos por Self Storage, que proporciona aos clientes um espaço para guardar móveis, volumes, documentos e até mesmo estoque. Ou seja, muito viável para escritórios, comerciantes ou representantes.

Entre os benefícios que fazem valer a pena investir estão a flexibilidade de contrato e a segurança para os itens guardados. Isso, além das diversas unidades ao redor do país.

Portanto, essa é uma opção para considerar novas formas de se realizar o próprio negócio, como recepcionar seus clientes, armazenar sua mercadoria e estar em dia com as recomendações da saúde e vigilância sanitária.

Tais medidas e estratégias serão sem dúvidas pontos essenciais quando o vírus estiver mais controlado e a população voltar a consumir com maior vigor.

Fonte: SS Self Storage

Próxima notícia

Dê sua opinião: