ORÇAMENTO SECRETO

Bolsonarista que quer separar o Nordeste tem milhões em contratos com o governo federal

Com a derrota de Bolsonaro o prefeito de Betim (MG) defendeu separar o Nordeste; ele tem R$ 480 milhões em contratos no governo federal


Jair Bolsonaro e Vittorio Medioli: derrota e revolta

Jair Bolsonaro e Vittorio Medioli: derrota e revolta Foto:

A empresa de Vittorio Medioli, prefeito de Betim (MG) e aliado do presidente Jair Bolsonaro (PL) que defendeu a separação do Nordeste do Brasil após a derrota do ex-capitão nas eleições, já assinou contratos com o atual governo que somam mais de R$ 480 milhões.

O simpatizante do chefe do Executivo é sócio da concessionária Deva Veículos, que desde o início da gestão Bolsonaro em 2019 já recebeu pagamentos de R$ 230 milhões referentes aos contratos com a administração federal, segundo informações do jornal Folha de S. Paulo.

Para repasse à Deva, como parte do valor já reservado no Orçamento da União, R$ 123 milhões, tem como origem as chamadas emendas do relator. O presidente da Câmara dos deputados, Arthur Lira (PP-AL) é o parlamentar que mais direcionou emendas a contratos com a empresa, uma vez que renderam empenhos de R$ 7,9 milhões à Deva.

Só em 2021, a empresa do apoiador do ex-capitão ganhou licitações para fechar contratos com a estatal que somam R$ 354 milhões. Em 2020, os valores com a Codevasf chegaram a R$ 98 milhões, e em 2019, cerca de R$ 15 milhões.

As concorrências públicas ganhas pela Deva ocorreram por meio de uma forma simplificada de licitação que é realizada de maneira online, chamada pregão eletrônico. Além disso, ainda na gestão Bolsonaro, a empresa soma empenhos de R$ 330 milhões. Depois das emendas de relator, a principal origem dessa verba são as indicações feitas pela bancada do Tocantins (R$ 65 milhões em emendas), seguida pela de Alagoas (R$ 42 milhões).

Fonte: DCM/Folha

Próxima notícia

Dê sua opinião: