Olhe Direito!

Wilson Brandão, 100 anos


Os Wilson de Andrade Brandão: pai e filho

Os Wilson de Andrade Brandão: pai e filho Foto: Divulgação

Quando já era um homem marcado pela sabedoria que só o tempo e a capacidade de melhor vivê-lo podem conceder-nos, o professor Wilson de Andrade Brandão, então deputado estadual constituinte, foi escolhido por seus pares em 1989 como o relator da nova Constituição do Piauí. A Carta estadual que resultou de amplo processo de discussão  foi sistematizada pelo relator-geral, condição adequada a Wilson Brandão por variadas razões meritórias, entre as quais sua capacidade intelectual, boa escrita e disposição para ouvir mais que falar.
Em 1989, com 67 anos, ele coroava como o relator da Constiuição estadual uma carreira bem-sucedida como intelectual e político – a qual lembramos neste dia 14 de outubro de 2022 que marca o centenário de seu nascimento, na cidade de Pedro II.
Formado na Faculdade de Direito do Piauí, fez-se um dos seus mais brilhantes professores, tendo sido diretor da instituição, uma das bases da criação da Universidade Federal do Piauí, no começo dos anos 1970. Na UFPI, como na “Velha Salamanca” foi um grande formador de gerações de advogados – e também de juízes e promotores de Justiça.
Formam bem pessoas é mister de um professor, algo que Wilson de Andrade Bradão foi com maestria. Mas foi além disso, porque se insere entre os maiores cultores das letras jurídicas em nosso Estado, bem como um dedicado pesquisador da História do Piauí, tendo produzido obras fundamentais tanto no Direito quanto no campo historiográfico, entre as quais destaco As lesões do contrato e História da indepedência do Piauí.
A carreira no magistério fez dele diretor do Liceu Piauieense, mas levou muito além, direcionando-o à escrita do Direito e da História foi decisava para tranformar Wilson Brandão em um dos mais renomados e respeitados intelectuais de sua geração, alçando-o à condição de membro da Academia Piauiense de Letras, onde atualmente seu filho, Wilson Nunes Brandão tem assento.
Como advogado foi um dos mais notáveis integrantes do Instituto de Advogados Piauienses e sua condição de historiador o colocou entre os respeitáveis membros do Instituto Histórico e Geográfico do Piauí.
Entre 1967 e 1991 ocupou uma cadeira na Assembleia Legislativa do Piauí, sendo eleito inicialmente pela Arena, depois pelo PDS e finalmente pelo PFL – sendo por duas vezes secretário de Cultura do Piauí, a primeira no governo Alberto Silva (1971-1975), quando conduziu um plano editorial que resgatou e publicou obras importantes para a cultura e a história do nosso Estado.
História da qual ele foi um observador atento, mas também um protagonista, em eventos como a eleição indireta para presidente da República em 1985. Wilson Brandão foi um dos seis deputados estaduais escolhidos como delegados da Assembleia do Piauí para a indicação do novo presidente, numa eleição em que Tancredo Neves foi eleito e pôs fim a 21 anos de regime autoritário no Brasil.
Registre-se, pois, essa vida cheia de contribuições para a sociedade, a cultura e a política do Piauí.

Álvaro Mota

Álvaro Mota

Procurador do Estado e mestre em Direito pela Universidade Federal de Pernambuco - UFPE. Álvaro também é presidente do Instituto dos Advogados Piauienses.
Próxima notícia

Dê sua opinião:

Sobre a coluna

Álvaro Mota

Álvaro Mota

Procurador do Estado e mestre em Direito pela Universidade Federal de Pernambuco - UFPE. Álvaro também é presidente do Instituto dos Advogados Piauienses.

Fique conectado

Inscreva-se na nossa lista de emails para receber as principais notícias!

*nós não fazemos spam

Enquete