Polícia

Já está preso o ex acusado de executar Aretha Dantas

Paulo Alves dos Santos Neto se entregou no final da tarde e depõe na DHPP
Fonte: DHPP | Editor: Paulo Pincel 16/05/2018 18:30
Paulo Alves dos Santos Neto matou Aretha Dantas Claro Paulo Alves dos Santos Neto matou Aretha Dantas ClaroFoto: Arquivo pessoal/Montagem

Políciais civis do Depaertamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), prenderam no começo da noite desta quarta-feira (16), Paulo Alves dos Santos Neto, o ex-marido de Aretha Dantas Claro. O acusado se entregou e depõe na sede do DHPP, no bairo São Pedro. Aretha foi morta de maneira cruel na madrugada de terça-feira (15) , provavelmente na casa do ex e o corpo foi abandonado na Avenida Maranhão.

"Foi o ex-marido... foi confirmada a autoria [...] Tem muito sangue, principalmente na sala, mas nos outros cômodos da casa também tem. Fora da casa também tem. O carro tem sangue tanto na placa dianteira como traseira. O carro está sendo periciado e tem sangue dentro também. Ele é o autor do crime. O carro é dele”, revelou a delegada Luana Alves, que investiga a morte da cabeleireira Aretha Dantas Claro.

A polícia procurou durante toda tarde outros elementos probatórios. "Vamos verificar todo o trajeto do carro, mas pelos vestígios, ele foi usado na ação criminosa. Tem uma faca dentro do carro que foi apreendida e será periciada", acrescentou a delegada. Seis equipes do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) estão atuando no caso, inclusive nas buscas pelo assassino da cabeleireira.

Seis policiais permanecem na casa, no Parque Poty, na região do Renascença, zona Sudeste de Teresina, realizando buscas e colhendo provas e indícios para serem acrescentados ao inquérito. Paulo Neto agora é acusado de feminicídio e está sendo procurado pelas polícias civil e militar. O acusado pode ter fugido para o Ceará.

“Tudo indica que aqui, se não foi o local do crime total, aqui dentro dessa casa ocorreram agressões. O carro tá aqui, tem algumas manchas na porta do passageiro, a gente não pode dizer que é mancha de sangue, mas a mancha é um pouco suspeita", adiantou a delegada encarregada do inquérito.

Paulo Neto é o ex-marido de Aretha e motorista do aplicativo Uber. Até o começo da tarde, Paulo Neto era suspeito da morte da cabeleireira Aretha Dantas Claro, 32 anos, executadas com várias facadas e depois atropelada na Avenida Maranhão, no bairro São Pedro, na zona Sul da cidade, na madrugada de terça-feira (15). Agora, com as provas, ele será denunciado por feminicídio, além de outras qualificadoras (agravantes).

Fera

Um cão da raça pittbull investiu contra os policiais civis que não conseguiram entrar na casa e tiveram que entrar em contato com o Centro de Controle de Zoonoses de Teresina, que enviou um equipe para prender o animal.

Cena do crime

Na frente da residência. os policiais encontraram um veículo vermelho, com marcas de sangue fora e muito sangue dentro, o que reforça a tese de que o carro foi usado para "desova" do cadáver, nesse que é considerado um dos mais brutais já ocorridos na capital piauiense. Na casa, segundo informações ainda não confirmadas oficialmente, a polícia encontrou muito sangue, além de uma carta, também com marcas de sangue.

A delegada Luana Alves responsável pelo inquérito instaurado pelo Núcleo de Feminicídio do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa acredita em crime passional provocado por ciúme, mas não descarta outras hipóteses. A autoria, porém, está confirmada: o ex-marido matou Aretha.

Motivação

Paulo Neto, apontado como autor do crime, não aceitava o fim do namoro e passou a perseguir Aretha e o novo namorado da cabeleireira, que já prestou depoimento e confirmou o que as a família já havia adiantado, de que a jovem era agredida pelo então namorado no tempo em que os dois tinham um relacionamento. E passou a ser perseguida depois do fim do namoro.

Comentários