COVID-19

STF libera respiradores retidos na Justiça para o Piauí

Equipamentos ampliarão a capacidade de terapia intensiva do estado


Governador anuncia a compra de 200 respiradores

Governador anuncia a compra de 200 respiradores Foto: Print do vídeo

Na noite da última quinta-feira (21), o Supremo Tribunal Federal reconheceu o direito do Estado do Piauí sobre os 80 respiradores que estavam retidos na Justiça devido a requisição administrativa do Ministério da Saúde. Os respiradores serão recebidos de forma segmentada, sendo 41 em uma primeira remessa e 39 em uma segunda remessa.

Os equipamentos têm como objetivo ajudar na estruturação da rede de saúde do Estado para o enfrentamento à COVID-19. A decisão favorável ao Piauí já havia sido reconhecida pela Justiça Federal do Piauí e com a decisão dos STF, os equipamentos chegarão ao estado nesta próxima semana.

Os respiradores serão empregados na conclusão dos leitos de UTI que serão implantados no Hospital da Polícia Militar. “Preparamos o HPM como um Hospital sentinela de referência ao enfrentamento da COVID-19 no nosso Estado e também começamos a estruturação dos leitos de UTI que seriam implantados na unidade, faltando apenas os respiradores para completar os leitos de UTI. Com a chegada dos equipamentos, dez deles serão encaminhados para o HPM para que as UTI’s comecem a funcionar o mais rápido possível no atendimento a nossa população”, aponta o Secretário Florentino Neto.

O Hospital Dirceu Arcoverde da Polícia Militar já realizou mais de 1.200 atendimentos de casos suspeitos ou confirmados da doença nos últimos 30 dias.

A unidade conta, atualmente, com 20 leitos clínicos e dois leitos de estabilização, além de ter a previsão de ampliação de 10 leitos de UTI, com a chegada dos respiradores para ampliar ainda mais sua capacidade de atendimento. Além da estruturação, o fluxo elaborado para o atendimento dos casos dentro da unidade é um dos principais fatores que possibilitam um atendimento de qualidade para a população.

O diretor técnico do HPM, o médico Leandro Ponce Leal explica que o fluxo desenvolvido possibilita um desempenho melhor de cada um dos setores envolvidos na organização e atendimento dos pacientes.

Os equipamentos também serão encaminhados para o Hospital Getúlio Vargas, Hospital Natan Portella e para os Hospitais Regionais do Estado com o objetivo de ampliar a capacidade de terapia intensiva por todo o Estado.

Fonte: CCOM

Próxima notícia

Dê sua opinião: