COVID-19

Profissionais de Enfermagem representam mais de 50% da força de trabalho na saúde

No Dia do Enfermeiro, categoria chama atenção para salários dignos e jornada de trabalho regulamentada


Enfermeira Bruna Sepúlvedra

Enfermeira Bruna Sepúlvedra Foto: Ascom

Representando mais de 50% da força de trabalho em saúde, os profissionais de Enfermagem têm papel fundamental na assistência à saúde, na segurança do paciente e na oferta de cuidado integral e humanizado. Nesta terça-feira, 12 de maio, Dia do Enfermeiro, a data reforça a importância da categoria, além de melhores condições de trabalho com dignidade e reconhecimento.  

2020 foi escolhido pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como o ano da Enfermagem. E é exatamente neste ano que a categoria enfrenta um dos maiores desafios: a luta contra a Covid-19. Muitos destes profissionais estão na linha de frente no combate ao coronavírus, em contato 24 horas com casos suspeitos e confirmados.

No Piauí, são quase 30 mil profissionais de Enfermagem, a maioria mulheres (88%), como a enfermeira obstétrica, Bruna Sepúlvedra. Ela trabalha na Sala de Parto da Maternidade Dona Evangelina Rosa, é professora em uma faculdade particular e ainda é proprietária de uma empresa que presta assistência direta a partos e nascimentos.

"Sempre quis ser enfermeira. Nunca duvidei do que eu queria ser. A minha primeira especialização foi em Unidade de Terapia Intensiva. Cheguei a coordenar UTIs. Mas após participar do meu primeiro parto, em uma cidade no interior, surgiu o interesse e a oportunidade de participar de uma especialização na UFPI sobre Enfermagem Obstétrica", explica.

Para Bruna, neste período de pandemia, o mais difícil é a falta do toque, do abraço, do contato próximo com o paciente. "Mas, nós sabemos que isso se faz necessário. Ao invés disso, podemos investir no olhar, no sorriso, nas expressões de calma. O grande desafio é realmente passar o máximo de segurança possível para as gestantes, que são grupo de risco, e precisam passar por um isolamento mais rígido. Trabalhar esses medos que vem surgindo em relação à pandemia, em relação ao futuro e como a criança vai nascer", afirma a enfermeira, que adotou em sua clínica a teleconsulta.

Já o enfermeiro intensivista Rogério Cunha, que está atuando no combate à Covid-19, vê a Enfermagem como uma missão. Supervisor em um hospital da rede privada, o profissional destaca que um dos principais desafios é manter o equilíbrio emocional.

"Está sendo um desafio. Procuro sempre me manter atualizado, de modo que a minha assistência seja de qualidade. Entender que estamos diante de um cenário diferente dos anteriores e que a cada instante o conhecimento é renovado a respeito desta pandemia. Além do mais, a questão psicológica tem sido um desafio, para tanto procuro manter a serenidade emocional em meio a este cenário, tendo em vista que o meu comportamento reflete diretamente na minha equipe", declara o enfermeiro que atua há 10 anos.

Semana da Enfermagem

Na Semana da Enfermagem deste ano, que inicia nesta terça-feira (12) e segue até o dia 20 de maio, o Conselho Federal de Enfermagem (Cofen) e o Conselho Regional de Enfermagem do Piauí (Coren-PI) chamam a atenção sobre a importância de reconhecer o trabalho dos profissionais de Enfermagem com salários dignos e jornada de trabalho regulamentada.

De acordo com a presidente do Coren-PI, Tatiana Melo, este ano não há muito o que comemorar. "Estamos na linha de frente, enfrentando uma pandemia, um inimigo invisível, muitas vezes sem ter condições de trabalho. Durante as fiscalizações que realizamos nas instituições de saúde, observamos a falta e a racionalização de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs), o que coloca em risco a vida dos profissionais de Enfermagem", alerta.

Sem a regulamentação do piso salarial e da carga-horária, muitos profissionais de Enfermagem precisam trabalhar em dois ou três locais para sustentar com dignidade sua família. "Em alguns municípios do Piauí, como Miguel Alves, Luís Correia e São Gonçalo do Gurgueia, conseguimos junto às prefeituras a aprovação da carga horária de 30 horas semanais aos profissionais. Mas, precisamos avançar ainda mais, para que todos tenham a garantia de cumprimento desta carga horária e piso salarial digno. A Enfermagem é sim essencial para a assistência à saúde no Piauí e em todo o Brasil", finaliza a presidente do Coren-PI, Tatiana Melo.

Enfermeiro Rogério da Cunha Alves

Fonte: Iconenoticia

Próxima notícia

Dê sua opinião: