SAÚDE

Surto de gripe lota hospitais públicos e clínicas de Teresina

FMS não tem nenhum controle dos casos que lotam os hospitais da cidade


Pacientes com sintomas de gripe procuram atendimento médico em Teresina

Pacientes com sintomas de gripe procuram atendimento médico em Teresina Foto: Luiz Brandão

Tosse, febre, dores de cabeça e no corpo são alguns sintomas que estão levando várias pessoas aos hospitais públicos e particulares de Teresina nos últimos dias. As unidades de saúde lotaram consideravelmente no mês de junho e a maioria dos pacientes são crianças. Um dos sintomas da gripe que mais incomoda as crianças é o nariz entupido, principalmente porque prejudica a respiração. Em um hospital particular situado no Centro da capital, o número de crianças esperando atendimento chama atenção.  A gripe é mais comum em crianças devido à grande quantidade de pessoas no ambiente escolar, já que a doença é contagiosa.

A maioria das pessoas que procuram atendimento de urgência em Teresina apresentam algum tipo de sintoma da gripe. A lotação é ainda maior nas Unidades de Pronto Atendimento (UPA). A Fundação Municipal de Saúde (FMS) informou ao Piauí Hoje que casos de  síndrome  gripal não  fazem parte do protocolo do Ministério  da Saúde para notificação compulsória, ou seja, notificação da ocorrência pelos órgãos de saúde. São notificados apenas os casos de Síndrome  Respiratória  Aguda Grave (SRAG). A vigilância epidemiológica da FMS mantem os registros de casos atualizados, sobretudo no que diz respeito aos casos graves, identificando possíveis fatores de risco que possam estar relacionados.

Ainda segundo a FMS, dentre os principais agentes etiológicos que resultam em SRAG, estão os vírus (influenza A, dengue, vírus sincicial respiratório, adenovírus, hantavírus e coronavírus), e outros agentes (pneumococos, outras bactérias, Legionella sp., leptospirose, etc.) O diagnóstico de pneumonia viral é frequentemente de exclusão e é baseado na ausência de produção de escarro, falha na identificação de bactérias em cultura e contagem normal ou discretamente elevada de leucócitos.

Em Teresina, entre 01 de janeiro e 24 de Junho de 2019, foram notificados cerca de 237 casos de síndrome respiratória aguda grave residentes em Teresina. Desse total 29 foram identificados como casos decorrentes de complicações de gripe, sendo 07 por influenza AH3 sazonal e 22 por influenza B.

A transmissão do vírus da gripe acontece por via respiratória, geralmente pela inalação partículas de secreção infectada em suspensão no ar. A maneira mais eficaz de prevenir a doença é a vacinação. Dados do Ministério da Saúde divulgados na segunda-feira (24), mostram que o Brasil atingiu 90% de cobertura na Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza. Isso significa que mais de 53,5 milhões de pessoas que fazem parte dos grupos prioritários procuraram os postos de vacinação. No total, o Ministério da Saúde distribuiu 59,5 milhões de doses para todo o país. 

Em Teresina, até o momento, 234.171 doses da vacina contra gripe foram aplicadas em Teresina. A cobertura chega a 87,15%.

Coberturas por grupo prioritário em Teresina:


Crianças 77,64%
Gestantes 83,61%
Puérperas 72,07%
Idosos 108,85%
Trabalhadores se saúde 93,82%
Professores 81,60%


Além da vacina, há outras maneiras de evitar a gripe. 

São elas:

• Evitar o contato próximo a pessoas que apresentem sinais ou sintomas de gripe;
• Lavar as mãos frequentemente com água e sabão. Se não tiver água e sabão, usar álcool em gel;

• Limpar e desinfetar superfícies que podem estar contaminadas, como mesa e corrimão;
• Evitar tocar a boca, nariz e olhos;
• Manter alimentação saudável, rica em frutas e hortaliças;
• Se sentir os sintomas da doença (febre, calafrio, dor de cabeça, tosse, dor de garganta, ou outros sintomas) procure um serviço de saúde;
• Não compartilhar objetos de uso pessoal, como talheres, pratos, copos ou garrafas;
• Manter os ambientes bem ventilados, com portas e janelas abertas.

Quando se deve ir ao médico e qual o tratamento? 

No início da gripe normalmente a pessoa tem febre alta (mais de 38 °C), dores de cabeça e no corpo, mal estar e fraqueza. Outros sintomas possíveis são tosse, inicialmente seca, dor de garganta e coriza. A doença costuma melhorar em até cinco dias contados a partir do início dos sintomas, mas caso ela se estenda por mais de uma semana, o paciente deve procurar ajuda médica.A gripe pode ser tratada com analgésicos, antitérmicos, repouso e hidratação. Em alguns casos, é necessário o uso de medicamentos antivirais.  

Fonte: Com informações da FMS

Próxima notícia

Dê sua opinião: