GREVE

Parecer técnico da Câmara atesta inconstitucionalidade em parcelamento do piso

O movimento exige que o piso seja concedido no valor previsto


Sindserm

Sindserm Foto: Divulgação

O Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Teresina (SINDSERM) teve acesso ao parecer técnico que considera ilegal o projeto de reajuste parcelado do piso do magistério. O documento reforça o argumento da categoria que mantém a greve iniciada no dia 10 de março.

Mesmo a Câmara Municipal tendo conhecimento do parecer opinando pela rejeição da tramitação, discussão e votação do projeto, o mesmo pode ser votado nesta quinta-feira (12).

"Firmino trata professores como lixo. Não vamos permitir isso, pois eles tentaram esconder o parecer técnico", comenta Sinésio Soares, da coordenação geral do SINDSERM.

O movimento exige que o piso seja concedido no valor previsto pela Lei Federal no percentual de 12,84%.

Fonte: ascom Sindserm

Próxima notícia

Dê sua opinião: