OPERAÇÃO

Militar envolvido em plano golpista é preso em Brasília

Correa Neto é suspeito de participar da tentativa de golpe de Estado


Coronel Correa Neto

Coronel Correa Neto Foto: Facebook

O coronel Bernardo Romão Correa Neto foi preso pela Polícia Federal na madrugada deste domingo (11) ao desembarcar no aeroporto de Brasília. O militar vinha de uma viagem dos Estados Unidos.

Durante os procedimentos no aeroporto, Correa Neto teve três passaportes apreendidos. Em seguida foi levado ao Batalhão da Guarda Presidencial, onde está sob custódia. O militar é investigado pela Polícia Federal por suposto envolvimento nos crimes de tentativa de golpe de Estado e de abolição do Estado democrático de direito.

Na última quinta-feira (8), o coronel e outros três investigados na Operação Tempus Veritatis ("hora da verdade", em tradução do latim) tiveram a prisão preventiva decretada, mas ele não foi preso na ocasião porque estava a trabalho nos EUA.

A PF apurou que Correa Neto, à época no Comando Militar do Sul, manteve diálogos com Mauro Cid para mediar o convite de uma reunião no dia 28 de novembro de 2022, em Brasília.

Ele "selecionou apenas oficiais formados no curso de forças especiais (kids pretos), providos, pois, de técnicas militares úteis para a consumação do golpe de Estado, e assistentes dos generais supostamente aliados", segundo as apurações.

A PGR afirmou que "a investigação identificou que Correa Neto agia como homem de confiança de Mauro Cid, executando tarefas fora do Palácio da Alvorada que o então Ajudante de Ordens da Presidência da República não conseguiria desempenhar".

Fonte: G1

Siga nas redes sociais
Próxima notícia

Dê sua opinião: