PANDEMIA

Governador pede que piauienses procurem tratamento ao sentirem sintomas da Covid

O gestor também creditou as mortes recentes à chegada tardia de pacientes infectados com a doença aos hospitais estaduais


Governador Wellington Dias

Governador Wellington Dias Foto: Reprodução

Em vídeo publicado nas redes sociais na tarde desta sexta-feira (03), o governador Wellington Dias lamentou o recorde de 29 mortes em decorrência do novo coronavírus divulgado pela Secretaria de Estado da Saúde na última quinta-feira (02). O gestor também creditou as mortes recentes à chegada tardia de pacientes infectados com a doença aos hospitais estaduais.

Dias conta que esteve reunido com diretores das unidades hospitalares e com os profissionais de saúde que estão atuando no enfrentamento à Covid-19. A conclusão a que chegaram e foi reforçada através de apelo do governador é para que os piauienses procurem orientação médica assim que perceberem os primeiros sintomas da doença. Para Wellington, a descoberta da enfermidade ainda no início facilita o êxito no tratamento do paciente.

"Ontem, infelizmente, tivemos o pior dia da pandemia na área de óbitos, foram 29 óbitos. 29 seres humanos, pessoas que têm família, que têm história e perderam a vida para o coronavírus. Eu chamo a atenção que já chegamos a 726 óbitos no Piauí. Dialogando com os diretores de hospitais e equipes de UTIs verificamos que temos um problema grave. Pessoas que estão chegando na rede hospitalar depois de ficar em casa doente, fica ali doente aguardando piorar numa situação já muito grave. Esse vírus é violento, atinge o pulmão numa violência muito rápida. É tosse, febre, enfim, não tenha dúvida, é procurar o médico através do Monitora Covid 19, do seu telefone, ou através da UBS mais perto de você, do seu médico particular, do seu plano de saúde, procure já no primeiro sintoma. Descobrindo e tratando cedo a gente consegue vencer o coronavírus, isso tem acontecido aos milhares, procurem para a gente evitar óbitos pelo amor de deus", disse.


Próxima notícia

Dê sua opinião: