ÔNIBUS

CPI do Transporte Público: empresários voltam a dizer que não sabem quanto arrecadam

As oitivas com os empresários devem ser concluídas na quinta-feira (10). Em seguida, serão ouvidos os gestores e ex-gestores


Mais dois empresários foram ouvidos na CPI do Transporte Público

Mais dois empresários foram ouvidos na CPI do Transporte Público Foto: Divulgação

A Comissão de Inquérito Parlamentar do Transporte Público realizou nesta terça-feira, 8, mais uma oitiva com os empresários. Desta vez, foram ouvidos os representantes da empresa Transcol, que opera na zona Sul, e a Cidade Verde, que compõe os consórcios Urbanus e Poty, que operam, respectivamente, nas zonas Leste e Norte de Teresina.

As oitivas com os empresários devem ser concluídas na quinta-feira (10). Em seguida, serão ouvidos os gestores e ex-gestores. O primeiro a depor foi o representante da empresa Transcol, Edmilson de Carvalho. Assim como os demais empresários, ele disse não saber os valores pagos à sua empresa nos últimos anos. O empresário culpou a integração pelo caos do sistema e defendeu a repactuação, além do pagamento dos subsídios para manter o equilíbrio financeiro das empresas.

Em seguida, foi ouvido o representante da Cidade Verde, Solfieris Sousa. Ele afirma operar com transporte público há 40 anos e o agravamento da situação se deu pela falta de repasses, que ocorre desde o início da licitação, e pela pandemia, que ocasionou a diminuição de passageiros e circulação de veículos. Ele também defendeu a repactuação e reprojeção do sistema de integração.

O empresário da Transfácil, que também seria ouvido hoje, enviou um representante, mas devido às regras estabelecidas, não pôde depor. De acordo com o vereador Dudu, apenas os representantes legais que forem convocados podem comparecer às oitivas para prestar os depoimentos. O empresário será convocado novamente para depor na quinta-feira (10).

“Mais uma vez os empresários trouxeram informações importantes e vamos finalizar os depoimentos das empresas nesta semana e passar a ouvir outros setores e dar os outros encaminhamentos para que num espaço curto de tempo possamos fazer a compilação das informações que estão chegando e poder achar a melhor solução para essa problemática que se arrasta há tanto tempo”, disse o presidente da CPI, vereador Dudu.

Próxima notícia

Dê sua opinião: