STF

Cadeira do STF: o custo da indicação do anjo denunciado

Agora que o advogado está denunciado pelo Ministério Público do Rio de Janeiro por vários crimes precisa da recompensa do presidente


Cadeira do STF: o custo da indicação do anjo denunciado

Cadeira do STF: o custo da indicação do anjo denunciado Foto: Divulgação/Quid Novi Brasil

Por Mino Pedrosa

Na tarde de ontem, terça-feira (29), o ex advogado da família Bolsonaro, Frederick Wassef colocou sobre a mesa do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) a fatura dos honorários dos serviços prestados para a família. Agora que o advogado está denunciado pelo Ministério Público do Rio de Janeiro por vários crimes precisa da recompensa do presidente. E o pagamento será  a indicação de um desembargador do Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF1) indicado para a cadeira que substitui o decano Celso de Mello no Supremo Tribunal Federal (STF). O desembargador escolhido, segundo Wassef, possui fortes laços no judiciário carioca e promete resolver todas as pendências que envolvem o senador, Flávio Bolsonaro (Republicanos) e do próprio Wassef, identificado como pelo MP-RJ como: “o anjo” que cuidou de Fabricio Queiroz, ex assessor de Flávio quando era deputado na Alerj, e sua família.

A uma semana Flávio Bolsonaro e Wassef vinham trabalhando o nome do desembargador junto ao presidente Bolsonaro que guardava a sete chaves o nome chancelado por seu filho e seu ex advogado. Hà movimentação foi intensa no gabinete do Palácio do Planalto. A dupla Wassef e Flávio Bolsonaro garante para o presidente que o compromisso firmado pelo desembargador será cumprido. Fontes do Palácio do Planalto ligam o desembargador ao presidente do STF, Luiz Fux. O nome do desembargador pode ser revelado ainda hoje.

Esse furo de reportagem do site www.quidnovibrasil.com publicado na coluna Fênix do Planalto de autoria deste jornalista foi confirmado pela coluna do também jornalista, Lauro Jardim no jornal O Globo, que trouxe a luz o nome do desembargador Kássio Nunes, vice-presidente do TRF1 que será indicado pelo presidente Jaír Bolsonaro para ocupar a vaga que será deixado por Celso de Mello. O magistrado piauiense tem como seus cabos eleitorais o Filho do Presidente, senador Flávio Bolsonaro e Frederick Wassef ex advogado da família Bolsonaro.

Fonte: Quid Novi Brasil

Próxima notícia

Dê sua opinião: