ARMAS

BNDES banca ilegalmente loja de armas de ex-PM amigo do clã Bolsonaro no RS

O presidente busca privilegiar os amigos do clã e de aliados do governo com recursos da instituição


Ivan Keller (terceiro à direita) com Eduardo Bolsonaro

Ivan Keller (terceiro à direita) com Eduardo Bolsonaro Foto: Reprodução/Redes Sociais

Após desistir de abrir a "caixa-preta" do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) - uma de suas promessas não cumpridas de campanha - Jair Bolsonaro (PL) agora busca privilegiar de forma ilegal amigos do clã e de aliados do governo com recursos da instituição. 

Reportagem de Julia Affonso e Vinícius Valfré mostra que os recursos do banco estatal financiaram um comércio de venda de armas do major da reserva da Polícia Militar gaúcha Ivan Keller.

Keller é filiado ao PL e próximo do ex-ministro Onyx Lorenzoni (PL), candidato de Bolsonaro ao governo gaúcho. O ex-PM teria feito uma manobra para obter, em 2021, R$ 130 mil com juros de 5,45% para financiar seu Clube de Tiro Keller. 

O ex-PM agora se prepara para abrir uma loja de armamento em Santa Cruz do Sul, durante a vigência do contrato com o BNDES, que é proibido de financiar venda de armas.

Para isso, Keller incluiu no contrato do clube de tiro em julho "comércio varejista de armas e munições" na lista de atividades. Se essa atividade constasse no contrato, ele não teria conseguido o financiamento do BNDES.

Nas redes, Keller, que é presidente da Federação Gaúcha de Tiro, intercala propaganda de seu negócio com atividade política. No dia 7 de julho, ele publicou em seu Instagram uma foto no lançamento da candidatura de Lorenzoni ao governo gaúcho.

Dois anos antes, em julho de 2020, Keller publicou foto ao lado do deputado Eduardo Bolsonaro (PL-SP), filho do presidente e lobista da indústria armamentista no Congresso Nacional.

Fonte: Brasil 247 / Estadão Conteúdo

Próxima notícia

Dê sua opinião: