CRIME

Organização criminosa do Ceará é presa praticando golpes em bancos no Piauí

Cinco suspeitos foram presos em flagrante em Teresina e Piripiri; polícia apreendeu R$ 2 mil em espécie


Catões e documentos apreendidos durante operação

Catões e documentos apreendidos durante operação Foto: Divulgação/PC-PI

Cinco suspeitos de integrar uma organização criminosa do Ceará foram presos no último em Teresina e proximidades de Piripiri, região Norte do Piauí, por aplicarem golpes em agências bancárias do Estado. De acordo com a Polícia Civil, eles cometiam furtos mediantes fraudes de valores de contas bancárias de clientes do Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal, onde atuavam em terminais bancários da capital, distraindo as vítimas e realizando a troca de cartões, para efetuarem saques em outros terminais de pronto atendimento e também compras em estabelecimentos comerciais.

Policiais do 5º Distrito Policial monitoraram a quadrilha durante todo o mês de março deste ano para entender como os cinco operavam, até que na última sexta-feira (01) organizaram uma operação, sob a coordenação do delegado titular Edivan Botelho, com apoio do Delegado Geral Luccy Keiko e da Gerência de Polícia Metropolitana - GPE, dirigida pelo delegado Matheus Zanatta.

A ação teve início às 7h deste sábado, onde equipes do 5°DP cobriram os bancos alvos das zonas leste e norte e a equipe do GPE cobriu agências da zona sul e sudeste. A primeira prisão em flagrante de duas pessoas do referido grupo aconteceu em uma agência no bairro Marquês. Após levantamentos de informações, outros três indivíduos foram interceptados nas proximidades do município de Piripiri, situado a 170 quilômetros da capital, pela equipe do GPE, com apoio da PRF e Força Tática.

Nas prisões foram apreendidos: o valor aproximado de R$2.000,00, aproximadamente 30 cartões bancários de diversos clientes, vários aparelhos celulares, chaves de apartamentos de hotéis onde estavam hospedados na capital, e dois veículos.

Fonte: Com informações da SSP-PI

Próxima notícia

Dê sua opinião: