ZONA NORTE

Morador sai para cortar madeira e encontra homem morto há 3 dias em Teresina

Suspeitos do assassinato estavam enviando fotos da vítima morta para os familiares há três dias


Local de mata fechada onde o corpo foi encontrado no bairro Monte Verde

Local de mata fechada onde o corpo foi encontrado no bairro Monte Verde Foto: Yago Araújo

O corpo de Acelino Anderson Pereira de Oliveira, de 22 anos, desaparecido desde o último sábado (18), foi encontrado por um morador que saiu de casa na manhã desta terça-feira (21) para cortar madeira em uma mata densa no bairro Monte Verde, zona Norte de Teresina.

A família da vítima estava sofrendo tortura psicológica, pois os bandidos inicialmente fizeram uma chamada de vídeo com a irmã de Acelino direto do local onde ele possivelmente foi assassinado e mostrou o corpo. Em seguida, os suspeitos enviaram fotos para os familiares, mas não informavam onde haviam desovado o morto.

Policiais do 13º Batalhão, que fazem rondas na região, foram acionados e o Departamento de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP) iniciou diligências para chegar a identidade dos suspeitos e encontrar o corpo. Segundo o perito Wilson Miranda, o avançado estado de putrefação e o mau cheiro do cadáver condiz com o tempo que ele está desaparecido.

O carro tumba teve dificuldade para adentrar a mata e fazer a remoção de Acelino para o Instituto de Medicina Legal (IML) onde passará por uma perícia técnica que vai apontar os tipos de ferimentos, quantidade de golpes e armas utilizadas para o crime.

O DHPP ainda investiga a motivação do crime e trabalha com a suspeita de que os bandidos não aceitavam o fato de que Arcelino estava deixando o mundo do crime.

Em depoimento, a mãe da vítima, que preferiu não se identificar, afirma que está mais aliviada, pois agora poderá dar um enterro digno ao filho.

"Nunca imaginei do meu filho morrer desse jeito. Pelo menos aliviei minha dor. Graças a deus que vou poder fazer um enterro digno, não vou poder ter o velório com ele, mas vou ter o enterro e saber onde ele está. Agradeço a Deus por ter encontrado o corpo, a justiça entrego na mão de deus. Agora tou mais aliviada e vou tratar de me recuperar", disse a mãe, que preferiu não se identificar.

Família teme represálias

Próxima notícia

Dê sua opinião: