HABEAS CORPUS

Justiça mantém preso o assassino do estudante Gabriel

A defesa alegou ausência de fundamentação na prisão preventiva do suspeito


Deivid Sousa e Gabriel Brenno

Deivid Sousa e Gabriel Brenno Foto: Montagem Piauí Hoje

O Tribunal de Justiça do Piauí negou o pedido de habeas corpus para Deivid Ferreira de Sousa, 34 anos, acusado de assassinar a tiros estudante Gabriel Brenno, 21 anos. O crime ocorreu no dia  17 de julho, no Centro de Teresina, e a vítima morreu no hospital dias depois de ser baleada.

A defesa de Deivid alega que ausência de fundamentação na prisão preventiva e justificaram ainda que o cliente não responde por outros processos criminais. Portanto, na decisão monocrática firmada pelo desembargador Edvaldo Pereira de Moura e publicada nessa segunda-feira (2), está mantida a prisão preventiva do mestre de obras.

Deivid foi preso 16 dias dias depois do crime. Ele estava foragido e foi localizado na zona Leste de Teresina após voltar do Maranhão. No dia 8 de agosto, ele passou por audiência de custódia e foi encaminhado para um presídio do Piauí.

Segundo as investigações, o suspeito descobriu que sua companheira manteve um relacionamento extraconjugal com Gabriel Brenno.

Próxima notícia

Dê sua opinião: