CASO ANAEL E LUIAN

Justiça manda soltar dono do Frango Potiguar e advogados acusados de matarem adolescentes

Anael e Luian foram mortos a tiros na zona rural de Teresina


João Paulo de Carvalho, Guilherme de Carvalho e Francisco das Chagas

João Paulo de Carvalho, Guilherme de Carvalho e Francisco das Chagas Foto: Montagem/Piauí Hoje

O juiz Antônio Reis de Jesus Nollêto, da 1ª Vara do Tribunal Popular do Júri, revogou as prisões preventivas do empresário João Paulo de Carvalho Gonçalves Rodrigues dono do Frango Potiguar, e do advogado Guilherme de Carvalho Gonçalves Sousa. Além disso, o juiz revogou a prisão domiciliar do advogado Francisco das Chagas Sousa.  

Eles são acusados das mortes dos adolescentes Anael Natan Colins Souza da Silva, de 17 anos e Luian Ribeiro de Oliveira, de 16 anos. Os menores foram assassinados em 15 de novembro de 2021, na zona rural de Teresina.

De acordo com a sentença proferida na quinta-feira (29), o juiz pediu com urgência, os alvarás de soltura, devendo os denunciados serem postos em liberdade, se por outros motivos não estiverem presos. 

O juiz ainda determinou que João Paulo e Guilherme de Carvalho devem cumprir medidas cautelares como não se ausentarem do município de sua residência, sem a devida autorização deste juízo; comparecerem mensalmente na Central Integrada de Alternativas Penais para informar e justificar as suas atividades; comparecerem em todos os atos do processo para os quais forem intimados; informarem sobre a mudança de endereço e não cometerem outras condutas delitivas. 

Os três estão sendo acusados de duplo homicídio, sequestro, cárcere privado e ocultação de cadáver.

Relembre o caso

Luian e Anael desapareceram após uma festa realizada no dia 12 de novembro do ano passado em um sítio próximo à Ladeira do Uruguai, na zona Leste de Teresina. Depois de dois dias de buscas, os corpos dos adolescentes foram encontrados em um matagal às margens da PI-112, rodovia que Teresina ao município de União.

Após investigações da Polícia Civil, o  advogado Francisco das Chagas Sousa, de 70 anos, assumiu a autoria do crime em depoimento na sede do Departamento de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP). Ele foi junto com o filho Guilherme de Carvalho e cada um deu depoimento individualmente.

Antes, o empresário João Paulo já havia prestado depoimento e negou que tivesse participado diretamente da execução. Ele disse que emprestou o carro para o tio e que o tio levou os menores para o local onde foram executados.

Francisco das Chagas e Guilherme de Carvalho apenas confirmaram a história que foi dita por João Paulo. De acordo com o relato, João Paulo recebeu uma ligação para ir na  madrugada na casa do tio, que fica ao lado de uma casa de show, na zona rural Leste de Teresina. Ao chegar lá,  João Paulo disse que encontrou os adolescentes imobilizados por pelo tio  e primo. Os adolescentes teriam tentado roubar a casa e por isso foram imobilizados, segundo o relato dos envolvidos

.João Paulo disse ainda que emprestou o carro porque já estava estacionado lá fora. Os adolescentes foram colocados no carro e levados para um local onde foram executados a tiros. O tio assumiu a autoria do crime, dizendo que agiu sozinho efetuando os disparos que tiraram a vida de Anael e Luian.

Próxima notícia

Dê sua opinião: