Tatuador é preso e confessa que matou 32 pessoas

A maioria dos supostos assassinatos foi cometida com faca


Nicholas Brent Gibson

Nicholas Brent Gibson Foto: Florida Department of Law Enforcement

Um tatuador preso duas semanas atrás pela morte de Erik Stocker, de 77 anos, em abril, confessou, na sexta-feira (17/5), diante de repórteres que o aguardavam do lado de fora de um tribunal em Nova York (EUA), ter assassinado 32 pessoas desde quando tinha 12 anos.

Nicholas Brent Gibson revelou ter matado Erik, usando uma espada samurai no apartamento de Miami Beach (Flórida) que ele dividia com Erik. Ele argumentou que a vítima tinha pedido para morrer.

O preso deverá ser extraditado para responder pelo homicídio na Flórida.

Após a confissão dos múltiplos assassinatos, investigadores começaram a reabir casos que haviam sido encerrados nas últimas décadas e pesquisar relatos de desaparecimentos, especialmente na Flórida.

Agentes ainda não sabem se a confissão é verídica ou produto da fantasia de Nicholas.

Ele identificou Essi Puhakka, de 27 anos, como uma das vítimas, de acordo com a mídia local. A finlandesa foi achada afogada em Biscayne Bay (Flórida, EUA) em fevereiro de 2015. A autópsia foi inconclusiva.

O tatuador disse, ainda, ter matado um russo em Tampa Bay (Flórida) e, um outro homem, que ele identificou como afro-americano em Compton (Califórnia) e um semteto em Key West (Flórida).

A maior parte dos alegados assassinatos foi cometida com faca. O primeiro deles, conforme alega Nicholas, foi em 1999. Ele teria golpeado mortalmente com um tijolo um homem desconhecido.

Fonte: Extra

Próxima notícia

Dê sua opinião: