EDUCAÇÃO

SAF e IFPI assinam convênio para desenvolver primeiro mestrado em Agroecologia do Piauí

Professora Deyse Batista diz que o mestrado vai impulsionar as cadeias produtivas locais


Diretores da SAF e do IFPi comemoram o avanço

Diretores da SAF e do IFPi comemoram o avanço Foto: CCOM

O Governo do Piauí, por meio da Secretaria da Agricultura Familiar (SAF), assinou um termo de convênio com o campus de Campo Maior do Instituto Federal do Piauí (IFPI) para fortalecer a pesquisa e desenvolver o primeiro mestrado em Ciências Ambientais e Agroecologia, que será o primeiro nessa área, no estado do Piauí.

De acordo com a superintendente de Programas para a Agricultura Familiar da SAF, Liz Meireles, o convênio proporciona investimentos produtivos rurais, assistência e capacitação técnica, qualificação profissional e educação contextualizada para convivência com o semiárido.

“É uma satisfação pra gente participar desse momento da pesquisa do Piauí. Não temos dúvidas que o conhecimento e a inovação de práticas impactam diretamente na produção da agricultura familiar”, afirma Liz.

Segundo o diretor-geral do IFPI de Campo Maior, Danilo Alves, o próximo passo é submeter aprovação do curso à Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES). Trata-se de uma fundação do Ministério da Educação (MEC), que é responsável pela expansão e consolidação da pós-graduação – mestrado e doutorado – em todos os estados da Federação.

“Consideramos muito importante essa parceria. Vamos submeter à Capes e estamos confiantes na aprovação do mestrado. A SAF chega para dar grande contribuição nessa área e fortalece a capacitação técnica que beneficiará a agricultura familiar da região”, conta.

Para a professora Deyse Batista dos Santos, coordenadora do Centro Vocacional Tecnológico em Agroecologia, o mestrado vai impulsionar as cadeias produtivas locais.

“Os profissionais devem desenvolver esse conhecimento dentro das cadeias produtivas locais. Somos os pioneiros com essa temática da agroecologia e juntos, vamos fortalecer a pesquisa, para estágios extracurriculares e curriculares de ensino técnico e de graduação”, pontua.

Próxima notícia

Dê sua opinião: