TERCEIRIZADOS

Lixo se acumula em campus da Uespi por falta de pagamento

Os estudantes relatam que estão tendo que conviver com a sujeira


Lixo acumulado se espalha na Uespi

Lixo acumulado se espalha na Uespi Foto: Leitor do Piauí Hoje

Funcionários terceirizados responsáveis pela limpeza e serviços gerais da Universidade Federal do Piauí (UESPI) estão com os salários atrasados há mais de quatro meses e o cenário é de sujeira no campus Poeta Torquato Neto, no bairro Pirajá, zona Norte de Teresina. O Piauí Hoje recebeu imagens que denunciam  o lixo acumulado no local.

Rejane Sousa estuda Pedagogia no turno noturno no campus Torquato Neto. De acordo com a universitária, há mais de uma semana o lixo não é recolhido. "Temos que procurar banheiros limpos, ou melhor, menos sujos, para podermos usar. Eu acredito que isso está acontecendo porque o Governo não paga os terceirizados da Uespi e somos obrigados a conviver com essa situação", critica a estudante. 

Por conta do atraso nos salários, os funcionários da limpeza paralisaram as atividades e a universidade sofre com o acúmulo de lixo em corredores e banheiros. Pelas imagens é possível observar que as lixeiras transbordaram e o lixo se espalhou pelo chão. Além refletir um retrato feio da universidade, a situação é preocupante porque pode atrair ratos, baratas e outros seres transmissores de doenças. 


Em nota ao Piauí Hoje, a Uespi admitiu que os serviços de limpeza não estão sendo realizados regularmente devido a paralisação dos trabalhadores. A instituição disse ainda que já realizou todos os procedimentos para solicitação da liberação financeira.  O Piauí Hoje tentou contato com a Secretaria de Fazenda do Piauí (Sefaz-PI), mas sem êxito até o fechamento dessa matéria.

Veja a nota da UESPI:

"A Universidade Estadual do Piauí, esclarece que os serviços de limpeza do campus Poeta Torquato Neto, em Teresina, são realizados pelos servidores terceirizados que prestam serviços na instituição. A limpeza não está sendo feita de forma regular em razão da paralisação desses servidores, devido ao atraso de pagamento. A respeito disso, a UESPI informa que já realizou todos os procedimentos que competem à instituição para solicitação da liberação financeira. Comunica ainda que vem mantendo contato com a Secretaria de Fazenda do Estado do Piauí, responsável direta pela liberação, a fim de agilizar a situação".

Fonte: Leitores/Piauí Hoje

Próxima notícia

Dê sua opinião: