SERVIÇOS

Equatorial Piauí é 1º lugar no ranking de solução e qualidade de atendimento na plataforma

Troca de titularidade e demandas sobre consumo são algumas das principais solicitações dos clientes na plataforma


Consumidor.gov

Consumidor.gov Foto: Divulgação

A Equatorial Piauí aderiu à plataforma virtual de relacionamento consumidor.gov.br e, com apenas um mês de adesão, assumiu a 1ª colocação no ranking de solução e satisfação do atendimento.  A plataforma permite a interlocução direta entre clientes e empresas como mais uma via de acesso pela internet, um importante meio nesse período de pandemia.

Troca de titularidade e demandas sobre consumo são algumas das principais solicitações dos clientes na plataforma. “A Equatorial busca sempre melhorar a experiência do cliente, principalmente nesse momento que precisou fechar suas agências físicas, seguindo os protocolos de saúde. A plataforma consumidor.gov.br é mais um canal oficial que a distribuidora abre para os clientes resolverem suas demandas sem sair de casa, já que estamos em um momento que requer isolamento. A Equatorial segue trabalhando para atender e resolver o pleito de cada cliente por meio dos canais digitais”, afirma Windsor Santos, gerente jurídico da Equatorial Piauí.

O Consumidor.gov.br é um serviço público e gratuito que tem entre os seus principais objetivos ampliar o atendimento aos consumidores; incentivar a competitividade pela melhoria da qualidade de produtos, serviços e do relacionamento entre consumidores e empresas; aprimorar as políticas de prevenção de condutas que violem os direitos do consumidor e fortalecer a promoção da transparência nas relações de consumo.

“É importante essa adesão da Equatorial também à plataforma consumidor.gov a fim de que possa solucionar as demandas dos clientes. Um outro canal para atender às necessidades dos consumidores de forma direta, garantindo a resolutividade e satisfação. A empresa resolve as demandas, chega a um consenso, evitando a procura aos órgãos de defesa do consumidor e judicialização”, ressalta o promotor de Justiça Nivaldo Ribeiro, coordenador-geral do PROCON/PI.

Fonte: Ascom Equatorial

Próxima notícia

Dê sua opinião: