Geral

IBGE diz que cerca de 73% da população piauiense tem serviço de coleta de lixo

A pesquisa avaliou as condições sanitárias dos domicílios brasileiros

Da Redação

Sexta - 23/02/2024 às 14:34



Foto: Piauí Hoje Pesquisa detalha condições do serviço de coleta de lixo no Piauí
Pesquisa detalha condições do serviço de coleta de lixo no Piauí

Uma pesquisa realizada pelo IBGE ( Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) em 2022 e divulgada nesta sexta-feira (23) mostrou que 73% da população piauiense tem serviço de coleta de lixo. A pesquisa avalia as condições sanitárias dos domicílios brasileiros.

Conforme o levantamento, 70% do lixo domiciliar do Piauí era coletado diretamente nas residências por serviço de limpeza. Com outros 3%, o serviço acontecia indiretamente, com os moradores depositando o lixo em caçamba de limpeza. Em 2010, esse número chegava a 60,15% da população, indicando melhoria 12 anos depois.

No Piauí, o município de Água Branca foi o que apresentou o maior indicador de disponibilidade do serviço, atingindo cerca de 97,4% da população. Na sequência vinham os municípios de Picos (96,27%), Teresina (95,91%) e Dom Expedito Lopes (95,66%). Os municípios do Piauí com os menores indicadores de serviço de coleta de lixo foram Pau D’Arco do Piauí (22,88%) e Cabeceiras do Piauí (22,36%).

Mesmo com a melhora na coleta de lixo, em 2022 o Piauí figurava no cenário nacional com o segundo menor indicador do país, na frente apenas do Maranhão, com 69,83%. No Brasil esse indicador de coleta de lixo atingia 90,9%. Dentre as unidades da federação, os maiores indicadores ficaram com São Paulo (98,99%), Distrito Federal (98,84%) e Rio de Janeiro (97,96%).

O Censo Demográfico levantou ainda que a população do Piauí dava outros destinos ao lixo domiciliar, como a queima na propriedade (24%), jogar em terreno baldio, encosta ou área pública (1,52%), enterrado na propriedade (0,40%), e outro destino (0,39%).

Siga nas redes sociais

Compartilhe essa notícia: